Gigante de varejo chinês JD.com lança laboratório de pesquisa Blockchain

 

 

A gigante de varejo chinesa JD.com está ganhando ainda mais espaço na tecnologia blockchain ao lançar um laboratório de pesquisa para blockchain em parceria com dois institutos de tecnologia, de acordo com um anúncio publicado em 30 de outubro.

A Jingdong Group (JD.com) é uma das principais empresas chinesas de comércio eletrônico, controlando cerca de 30% do mercado on-line entre empresas e consumidores na China, com 314 milhões de usuários ativos, de acordo com o Financial Times. A empresa se concentra na implementação de novas tecnologias em comércio eletrônico, serviços de entrega e finanças.

Pelo anúncio, JD colaborou com o Ying Wu College of Computing no Instituto de Tecnologia de Nova Jersey (NJIT) e o Instituto de Software da Academia Chinesa de Ciências (ISCAS) para estabelecer um laboratório de tecnologia blockchain. O laboratório será voltado para a solução de problemas de eficiência e para o exame de novos aplicativos para a tecnologia.

Entre outros objetivos do laboratório, a JD cita esforços de pesquisa conjunta de longo prazo em protocolos de consenso fundamentais, proteção de privacidade e segurança em aplicativos descentralizados (DApps). Zhong Hua, vice-diretor do Instituto de Software da Academia Chinesa de Ciências, afirmou que "através desta parceria, traremos inovação no blockchain e promoveremos aplicações industriais da tecnologia blockchain".

No mês passado, a JD estabeleceu o Smart City Research Institute em sua sede em Nanjing, com o objetivo de facilitar o desenvolvimento da construção de “cidade inteligente” com o uso de inteligência artificial (IA), big data e tecnologias blockchain. O instituto influenciará “toda a região da China Oriental” e visa reduzir os custos da indústria e aumentar a eficiência.

Em agosto, a JD revelou sua nova plataforma Blockchain-as-a-Service (BaaS) apelidada de JD Blockchain Open Platform. O novo produto é projetado para ajudar os clientes comerciais a construir, hospedar e implementar soluções blockchain sem ter que desenvolver a tecnologia a partir do zero.

Além disso, em agosto, a empresa revelou planos de emitir títulos lastreados em ativos (ABSs) em uma blockchain em conjunto com a Huatai Securities e o Xingye Bank. Dentro da colaboração, os parceiros avaliariam o potencial do blockchain para melhorar a segurança dos ativos.