Power Ledger conclui teste de negociação peer-to-peer de energia solar na Índia

A empresa australiana de energia blockchain Power Ledger e a empresa indiana de distribuição de eletricidade BSES Rajdhani Power Limited (BRPL) concluíram um teste de negociação peer-to-peer (P2P) de energia solar no país.

A Power Ledger anunciou a notícia em um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 14 de novembro, detalhando que realizou um teste de comércio P2P de energia em larga escala na região de Dwarka, no sudoeste de Delhi, que inicialmente compreendia 5 a 6 megawatts (MW) de infraestrutura solar já existente, atendendo a uma variedade de condomínios fechados.

Monetização de investimentos em ativos de energia solar

O projeto permitiu que os moradores com infraestrutura solar no terraço vendessem o excesso de energia solar para as famílias vizinhas. O teste teve como objetivo dar aos participantes acesso a energia mais barata e renovável e permitir que os proprietários de infraestrutura solar monetizassem sua energia excedente.

“A BRPL conseguiu acessar uma alternativa de energia econômica durante os períodos de pico de preços da demanda, levando a maior eficiência e confiabilidade do suprimento de energia”, afirmou a Power Ledger. O CEO da BRPL, Amal Sinha, comentou os resultados do teste:

“Com o crescimento exponencial em nossa economia e produção, a capacidade de gerar energia limpa e utilizá-la na Índia sem a necessidade de uma rede totalmente centralizada é fundamental. Percebendo a importância da geração distribuída, já construímos uma extensa infraestrutura de energias renováveis, e este teste com a Power Ledger nos ajudará a utilizar totalmente essa energia.”

A energia solar é uma fonte de energia de rápido crescimento na Índia, pois o país tem o menor custo de capital por MW para instalar usinas de energia solar globalmente. Em setembro, a capacidade solar do país excedia 31 gigawatts.

Power Ledger expande seus testes de negociação P2P de energia renovável

Nos últimos meses, ao Power Ledger fez outros testes de negociação de energia baseados em blockchain em diferentes países.

No início de novembro, a empresa fez parceria com um varejista local de energia para implementar sua tecnologia no sul da Austrália, permitindo que os australianos agrupassem seu excesso de armazenamento solar e de bateria em uma usina de energia virtual para maior controle e gerenciamento de sua energia.

No início de outubro, a Power Ledger revelou seus planos para levar a cabo outro teste de negociação de energia habilitado para blockchain na região de Kanto no Japão até dezembro de 2019.

O teste acompanhará os níveis excedentes de energia solar e o comércio de eletricidade, integrando uma plataforma P2P habilitada para blockchain com sistemas domésticos de medidores inteligentes na região de Kanto.

Pesquisas recentes da Navigant Research, uma empresa de consultoria e pesquisa de mercado com sede no Colorado, mostraram que as aplicações da blockchain no setor de energia devem ter uma taxa de crescimento anual composta de 67% nos próximos 10 anos.