Administrador da extinta Mt. Gox prorroga prazo para submissão de plano de reabilitação

O administrador da extinta exchange de criptomoedas japonesa Mt. Gox estendeu o prazo para a apresentação do plano de reabilitação, de acordo com um anúncio oficial publicado no site da empresa nesta quinta-feira, 25 de abril.

De acordo com o anúncio, o curador da reabilitação da exchange, Nobuaki Kobayashi, apresentou uma moção em uma tentativa de estender o prazo de submissão de um plano de reabilitação na Corte Distrital de Tóquio. Em 24 de abril de 2019, o tribunal liberou uma ordem prorrogando o prazo até 28 de outubro de 2019. O anúncio diz:

“Uma grande quantidade de reabilitação afirma que o Curador de Reabilitação total ou parcialmente reprovado permanece indeterminado por estar sujeito a procedimentos de avaliação de reclamações. Consequentemente, não é possível, neste momento, estabelecer disposições apropriadas em um plano de reabilitação sobre modificações dos direitos das reivindicações de reabilitação, métodos de reembolso e medidas apropriadas para as reivindicações de reabilitação indeterminadas e, portanto, apresentar um plano de reabilitação até 26 de abril de 2019.” 

Como informado anteriormente, cerca de 24 mil credores foram afetados pela invasão da Mt. Gox em 2011 e seu subsequente colapso no início de 2014, que resultaram na perda de 850.000 BTC (avaliados em aproximadamente US$ 460 milhões na época). Em junho de 2018, o tribunal japonês aprovou uma petição para a exchange iniciar a reabilitação civil, com o efeito de reembolsar os credores em BTC e encerrar as vendas de Bitcoins.

Em 2018, Kobayashi publicou um comunicado afirmando que havia liquidado quase 26 bilhões de ienes (cerca de US$ 230 milhões) em BTC e Bitcoin Cash (BCH) ao longo de quatro meses desde o início de março de 2018.

Em 19 de março, Kobayashi anunciou que concluiu as reclamações de reabilitação de credores processados e que eles seriam notificados dos resultados dentro de dias. Mais tarde, em abril, o administrador disse que todos os credores que apresentaram pedidos de reabilitação receberam uma decisão, mas avisou que o prazo e o método de reembolso não haviam sido determinados.

No início de abril, Andy Pag, fundador e coordenador da Mt. Gox Legal (MGL) - o maior grupo de credores do Mt. Gox - deixou o cargo e decidiu vender sua reivindicação.