Leidimar Lopes da Unick Forex declara que só pagará clientes com acordo extrajudicial; reclamações já passam de 13 mil

Leidimar Lopes, presidente da Unick Forex, suposta pirâmide financeira de Bitcoin, declarou, em um comunicado oficial publicado em 01 de outubro, que só pagará clientes por meio de um acordo extrajudicial e que, apesar das proibições da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil, CVM e das investigações da Polícia Federal, as atividades da empresa continuam normalmente.

"Diante das ações de cobrança distribuídas contra empresas vinculadas direta ou indiretamente ao projeto Unick Academy, para evitar passivos e custos judiciais indevidos, todos os cancelamentos solicitados serão realizados por meio de acordos extrajudiciais, garantindo o recebimento e a segurança que todos os clientes precisam. Com o objetivo de demonstrar ainda mais a transparência em suas ações, a empresa optou pela contratação de um grande escritório de advocacia, com presença física para atender a todos os cancelamentos de forma profissional, rápida e eficaz, não causando prejuízo a nenhuma das partes", declarou.

Lopes não cita em seu comunicado como serão feitos os pagamentos dos clientes e nem para qual local a sede da empresa foi transferida a partir do dia 01 de outubro quando entregou as salas que ocupava em São Leopooldo levando, no domingo 30 de setembro, todos os computadores e documentos que estavam no local.

O presidente afirma que a empresa é uma plataforma educacional e não de investimento, "Os pacotes educacionais são dirigidos às pessoas que pretendem iniciar no complexo mundo das finanças e operações nos diversos mercados – tradicionalmente, apenas acessível às classes mais abastadas – e, tem ajudado muitas pessoas a começarem a atuar nesse mercado"

Lopes não fala nada de trade, binários e rendimentos garantidos, temas que constantemente eram abordados em vídeos, eventos e materiais de comunicação da empresa. O presidente apenas declara que para impulsionar os negócios, educacionais, usou de estratégias de marketing multinível.

"Para impulsionar os negócios, na época da criação da empresa, seus dirigentes optaram pela modalidade de marketing multinível, em que o cliente pode, se quiser, tornar-se um multiplicador dos negócios e ser remunerado por isso. O modelo de negócio se mostrou eficiente, e a Unick vendeu mais de um milhão de pacotes educativos em dois anos", afirma.

Alegando que o crescimento da plataforma acabou por gerar problemas operacionais que culminaram nos atrasos nos saques, Leidimar Lopes afirma que "todos os clientes receberão o que lhes é devido", entretato, nada de prazo ou formas de como o pagamento será efetivado.

Enquanto isso, nas redes sociais, as reclamações contra a Unick Forex explodem  e o site Reclame Aqui já registra mais de 13 mil solicitações contra a empresa. A imensa maioria delas por conta de saques não efetivados e pela falta de transparência na empresa em oferecer soluções reias para resolver o problema de saques.

Como noticiou o Cointelegraph, a Unick Forex, que oferecia supostos rendimentos baseados em Bitcoin por meio de negociações no mercado Forex é acusada de pirâmide financeira e seus diretores, incluindo o presidente Leidimar Lopes, estão sendo investigados pela Polícia Federal e pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil, CVM.