Solicitações de força-tarefa à Shapeshift aumentaram 175% no segundo semestre de 2018

Os pedidos de agências da lei enviados para a exchange cripto que tem sede na Suíça ShapeShift aumentaram 175% no segundo semestre de 2018, de acordo com um novo relatório de Transparência de Conformidade publicado pela exchange em 18 de janeiro.

Em uma postagem de blog que acompanha o relatório, a Shapeshift destaca que normalmente recebe solicitações de dados de agências da lei, incluindo endereços cripto (dentro ou fora do sistema Shapeshift), identificadoress de transação, informações de identidade pessoal (nomes, e-mails, endereços IP), criptomoeda ou informações de ativos cripto e muito mais. A ShapeShift enfatiza que na maioria dos casos não é informada dos detalhes da investigação ou da sondagem para a qual os dados estão sendo recolhidos.

O relatório revela que a Shapeshift recebeu um total de 44 intimações no terceiro e no quarto trimestres de 2018 — um aumento de 175% em comparação com um total combinado de 16 nos dois trimestres anteriores. Elas são divididas em 6 intimações no primeiro trimestre, 10 no segundo trimestre, 19 no terceiro e 25 no quarto trimestre.

2018 law enforcement requests sent to ShapeShift

Solicitações de forças-tarefa enviada à ShapeShift em 2018. Fonte dos dados: ShapeShift

Em termos geográficos de jurisdições, o maior número de solicitações ao longo do ano veio de agências sediadas nos Estados Unidos - respondendo por 18 de um total de 60 consultas globais. Entre estas, 6 vieram do FBI, 5 da Comissão de ValoresMobiliários (SEC), 3 de autoridades estaduais, duas do Departamento de Segurança Interna (DHS) e uma da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC).

As agências alemãs foram responsáveis ​​pelo segundo maior número de consultas por país - emitindo oito solicitações - seguidas pelo Reino Unido com 6 e França com quatro.

A ShapeShift afirma que normalmente é capaz de fornecer as informações solicitadas dentro de um prazo de 1 a 2 semanas e que cumpriu todos os pedidos de verificação que recebeu em 2018. Como a exchange observa, o aumento em suas investigações ao longo do ano está correlacionado com o que foi testemunhado por outras exchanges. Como relatado anteriormente, as intimações para exchanges de criptomoeda Kraken aumentaram três vezes em 2018, em comparação com o ano anterior.

A postagem do blog da ShapeShift faz questão de enfatizar que sua experiência com agências da lei é algo corriqueiro, citando a declaração do fundador da TechCrunch, Michael Arrington, quando seu fundo de cobertura de 100 milhões de dólares foi investigado pela SEC em março de 2018: “Recebemos uma intimação. Cada fundo [cripto] com o qual eu conversei recebeu uma…”

Conforme relatado no ano passado, a ShapeShift foi solicitado a refutar as alegações de facilitar a lavagem de dinheiro, depois de ter sido implicada em um relatório do Wall Street Journal que alegou que US $ 9 milhões em fundos mal obtidos foram canalizados através de sua plataforma.

Como uma plataforma não custodial, a Shapeshift historicamente não impunha exigências de identificação de usuários aos operadores - embora isso esteja mudando desde que a plataforma começou a desenvolver um modelo de afiliação obrigatório em setembro.