Alto executivo do banco Julius Baer diz que criptomoedas ainda estão no processo de seleção 'darwiniano'

Um executivo do banco privado suíço Julius Baer disse que as criptomoedas ainda estão no estágio de um processo de seleção "darwiniano". 

Em uma entrevista à Arabian Business em 29 de outubro, Christian Gattiker-Ericsson - estrategista-chefe da Julius Baer e chefe de soluções de pesquisa e investimento - argumentou que:

"Ainda estamos nesse processo de seleção darwiniano, onde diferentes modelos de negócios são experimentados e testados, mas ainda não vimos algo que foi claramente um vencedor".

Criptomoeda ainda "mais parecida com ouro do que com uma moeda"

Gattiker-Ericsson falou adicionalmente sobre o estado da nova classe de ativos, sugerindo que muitas criptomoedas "ainda lutam com o fato de terem padrões de oferta limitados ou com pouca mudança, o que realmente os torna mais parecidos com ouro do que com uma moeda".

Em uma aparente divergência do etos descentralizado que estimulou a invenção das criptomoedas, ele disse a repórteres que os inovadores precisariam ser capazes de "transferir a confiança" que é "inerente a uma moeda, bancos centrais e governos" - e transpor isso para "o mundo virtual e descentralizado".

O executivo também caracterizou a tecnologia blockchain como uma nova fronteira, dizendo que o Julius Baer estava explorando suas possibilidades e reconheceu que "possivelmente mudará as regras do jogo".

Mudança de aderência

Como observa a Arabian Business, Bernhard Hodler, ex-CEO do Julius Baer, ​​comparou as criptomoedas ao jogo de azar durante uma entrevista em 2018.

Apesar da ênfase de Hodler à época em que o banco não estava aconselhando seus clientes a especular no campo, o Julius Baer deu uma guinada de 180 graus.

Em fevereiro, o Julius Baer anunciou planos de oferecer aos clientes acesso a serviços de ativos digitais por meio de uma parceria com o agora licenciado banco de criptomoeda suíço Seba Crypto. Também indicou que o Julius Baer era um participante minoritário no Seba a partir de 2018.