Cidadão israelense acusado de roubar mais de US$ 1,7 milhão em criptomoedas

Eliyahu Gigi, 31 anos, de Tel Aviv, foi acusado de roubar mais de US$ 1,7 bilhão em uma variedade de criptomoedas. Gigi supostamente roubou BTC, Ethereum e Dash de usuários na Holanda, Bélgica e Alemanha. 

A advogada Yeela Harel, do departamento cibernético da Promotoria, apresentou acusações contra Gigi em 17 de julho, de acordo com um relatório publicado no mesmo dia pela Globes. Gigi teria sido acusado de crimes como roubo, fraude e lavagem de dinheiro, entre outros.

De acordo com o relatório, o indiciamento de Harel afirma que Gigi criou uma rede de sites fraudulentos para roubar criptomoedas através do uso de malware. Ele é acusado de usar uma série de métodos para cobrir seus rastros, incluindo o emprego de servidores remotos e o embaralhamento dos fundos roubados em diferentes carteiras. 

Gigi e seu irmão, um soldado desmobilizado, teriam sido presos em junho. A dupla era suspeita de estar envolvida em fraudes internacionais de phishing, mas Harel passou a indiciar apenas Gigi.

Aparentemente, a polícia começou a investigar Gigi quando recebeu informações sugerindo que ele estava abandonando os links de fraude nos fóruns de carteira digital. Segundo o relatório, Gigi teria um link para um site que parecia ter um gerenciador de carteira para download. No entanto, Gigi parecia ter coletado e desviado as credenciais da conta dos usuários para roubar suas criptomoedas.

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, um funcionário da Microsoft foi recentemente preso por suspeita de roubar US$ 10 milhões em criptomoedas. Volodymyr Kvashuk supostamente roubou e vendeu cartões de presente criptografados para produtos da Microsoft, vendendo-os para clientes pela Internet.