Governo iraniano corta abastecimento de energia de mineradoras cripto até aprovação de nova tarifa energética

O governo iraniano vai cortar a energia para a mineração cripto até que os novos preços de tarifa de energia sejam aprovados, segundo matéria da agência local Iran Daily em 24 de junho.

Mostafa Rajabi Mashhadi, funcionário do Ministério da Energia, teria dito que o país teve aumento de 7% no consumo de eletricidade no período de um mês, terminando em 21 de junho de 2019. 

Rajabi enfatizou que a natureza incomum do aumento, que chama atenção pela disparidade com períodos semelhantes dos últimos anos, dizendo que a rede elétrica do país evidentemente havia se tornado instável.

Segundo o funcionário, o Ministério da Energia do Irã acredita que o aumento foi causado pelo aumento da atividade de mineração cripto no país, dizendo ainda que o Estado vai tomar as medidas necessárias para prevenir problemas de eletricidade.

Para tal, Rajabi teria dito que os mineradores cripto "serão identificados e sua eletricidade será cortada", até que o governo aprove a recente proposta do ministério para a mudança de preços para operações de mineração cripto. Rajabi declarou ainda que as autoridades terão de se impor, já que o consumo excessivo de eletricidade atual está "causando problemas para outros usuários".

Em 9 de junho, o vice-ministro da energia do IrãOn June 9, the deputy energy minister of Iran defendeu que as contas de eletricidade para as mineradoras de moedas digitais sejam calculadas de acordo com os preços reais, ou com as mesmas taxas estabelecidas para as exportações de energia. 

O Irã, um país que ainda teria expandido seus ganhos com mineração cripto apesar do mercado de baixa de 2018, paga cerca de US$ 1 bilhão em subsídios anuais, supostamente para cobrir a diferença entre custos reais de eletricidade e o que a quantia cobrada de consumidores, desconto que os mineiros de criptomoedas têm aproveitado com entusiasmo em meio a turbulências econômicas e sanções. 

A posição do país sobre a mineração cripto tem se mantido aberta desde setembro de 2018, quando as autoridades do país passaram a aceitar a atividade de mineração como uma indústria.