Ministro da energia do Irã quer que mineradores paguem preços reais de eletricidade

O vice-ministro de energia do Irã disse que as contas de eletricidade para mineradores devem ser calculadas de acordo com os preços reais, segundo o diário econômico iraniano Financial Tribune publicou em 9 de junho.

O vice-ministro de enrgia do país, Homayoun Haeri, declarou que as contas de eletricidade para a mineração de criptomoedas devem ter preços de acordo com as mesmas taxas de exportação de energia. O governo teria pago cerca de US$ 1 bilhão em subsídios anuais para repor preencher a lacuna entre os custos reais de eletricidade e o valor cobrado dos consumidores, escreve o Financial Tribune.

Como noticiado em dezembro, os iranianos estavam lucrando com a mineração de moedas digitais apesar do crash dos mercados cripto e da flutuação da moeda nacional, reforçada pelas sanções dos Estados Unidos.

O Irã deu declarações positivas sobre a mineração cripto em setembro do ano passado, quando importantes autoridades do governo - incluindo o Ministério da Tecnologia da Informação e Comunicações, o banco central, o Ministério da Energia, e outros — aceitaram a mineração cripto como uma indústria.

Na época, a Secretaria do Concelho Supremo de Ciberespaço do Irã declarou que o Centro Nacional de Ciberespaço Iraniano estaria desenvolvendo uma plataforma para a regulação de mineração de criptomoedas, com as autoridades relevantes considerando o desenvolvimento de uma estrutura regulatória para a mineração cripto.

Em tentativa de dar estabilidade econômica no país, o governo iraniano também estaria considerando o lançamento de sua própria criptomoeda apoiada pelo estado. Em agosto do ano passado, o Centro Nacional de Ciberespaço revelou que a proposta de um projeto cripto governamental estava pronta, seguindo as instruções do presidente do país, Hassan Rouhani.

Uma análise recente do Cointelegraph sobre a mudança de atitude de governos com relação a criptomoedas mostrou como isso afeta os usuários criptos iranianos.