Irã: Projeto de cripto com apoio do Estado está pronto, banco central anunciará em breve posição sobre cripto

O Centro Nacional do Ciberespaço do Irã revelou que o esboço do projeto de criptomoeda apoiado pelo Estado está pronto, informou o Financial Tribune, uma agência de notícias local em 25 de agosto.

Segundo o artigo, o projeto nacional de moeda digital foi desenvolvido sob instruções do presidente do Irã, Hassan Rouhani.

Saeed Mahdiyoun, vice-diretor encarregado da elaboração dos regulamentos do Conselho Supremo do Ciberespaço do Irã, revelou à agência de notícias local IBENA que a ideia de introduzir uma criptomoeda nacional está sendo ativamente perseguida pela autoridade do ciberespaço iraniano.

Mahdiyoun também afirmou que as autoridades estaduais logo removerão a incerteza existente em torno das criptomoedas, já que o Banco Central do Irã deve introduzir sua posição oficial sobre o assunto no final de setembro.

No momento, as operações de criptomoedas são proibidas para bancos e instituições de crédito iranianos, após as preocupações com a lavagem de dinheiro que foram levantadas pela primeira vez em dezembro de 2017.

Conforme relatado anteriormente pela Cointelegraph, o Irã confirmou que criará seu próprio token emitido pelo estado para evitar as sanções dos EUA, bem como para "facilitar a transferência de dinheiro" para e de "qualquer lugar do mundo".

Imitando a prática da Venezuela, cujo governo introduziu a primeira criptomoeda nacional, o Petro, em fevereiro deste ano, as autoridades iranianas estão analisando a tecnologia blockchain para contornar os desafios do país, incluindo a proibição total de adquirir dólares norte-americanos promulgada no início de agosto.

Em 7 de agosto, a Cointelegraph informou que a ameaça do ransomware de criptomoeda do Irã está em ascensão e vai crescer ainda mais no atual ambiente geopolítico. De acordo com o relatório da consultoria global de gestão Accenture, o ransomware detectado "poderia ter sido criado por atores apoiados pelo governo ou por criminosos iranianos".