Banco ING lança a ferramenta de privacidade em blockchain Bulletproofs

A corporação holandesa de serviços financeiros e bancários global ING introduziu o desenvolvimento de uma ferramenta em blockchain criptográfica chamada Bulletproofs, de acordo com um anúncio realizado em 7 de fevereiro.

A Bulletproofs representa a extensão de tecnologias de desenvolvimentos anteriores do ING relacionados à privacidade da blockchain, como o ZKRP (zero-knowledge range proof) e o ZKSM (zero-knowledge set membership).

O banco ING lançou o ZKRP pela primeira vez em novembro de 2017, permitindo que os participantes do mercado mantivessem o anonimato em uma transação, enquanto confirma sua precisão. Por exemplo, a ferramenta permitia que um solicitante de hipoteca comprovasse seu salário dentro de um determinado intervalo sem revelar o número exato.

Como uma versão melhorada do ZKRP, o ZKSM foi lançado em outubro de 2018, fornecendo um código mais poderoso para validar determinados dados alfanuméricos sem revelar detalhes contextuais para proteger a segurança geral dos dados. Como tal, o banco ING citou um exemplo em que os bancos podem validar que um cliente vive em um país que pertence à União Européia, sem revelar o país exato.

A Bulletproofs é mais rápida do que as zero-knowledge proofs anteriores. Como a Bulletproofs não depende de uma configuração confiável, os parâmetros podem ser gerados sem um valor secreto, fornecendo um maior grau de confiança para todos os usuários na blockchain.

Desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Stanford e da University College London em parceria com a startup Blockstream, o código da Bulletproofs está aberto no GitHub.

No início deste ano, o ING assinou um contrato de cinco anos com o consórcio blockchain corporativo R3 para acessar a plataforma blockchain comercial do consórcio, a Corda. De acordo com o relatório, o ING planejava implementar os aplicativos descentralizados da Corda (CorDapps) em toda a sua infraestrutura de negócios global.

Em 12 de abril, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial lançaram em conjunto uma blockchain privada e um novo ativo Learning Coin. A nova moeda não tem valor monetário e não é uma verdadeira criptomoeda.