ING Bank lança add-on de melhoria da privacidade de código aberto para blockchains

A multinacional holandesa de serviços bancários e financeiros ING confirmou o lançamento de sua ferramenta blockchain de código aberto Zero-Knowledge Set Membership (ZKSM) em um comunicado à imprensa na segunda-feira, 21 de outubro.

A ZKSM, que funciona como um “aprimoramento” de privacidade para a tecnologia de livro-razão distribuído (DLT), como blockchain, visa fornecer validação de determinados dados alfanuméricos sem comprometer a segurança geral desses dados.

De acordo com o ING, a ferramenta permite que um blockchain confirme que uma parte dos dados pertence a um conjunto especificado, sem revelar suas características completas.

Por exemplo, como o comunicado de imprensa elabora, um cidadão da UE poderia provar que ele ou ela é da União sem ter que identificar o país de residência exato.

“Um dos principais desafios na implementação do novo DLT é proteger as informações privadas em um livro-razão público, onde as mudanças devem ser verificadas por cada participante da rede”, continua o banco no comunicado.

Explicando o ímpeto por trás da última versão, a líder do ING na inovação de banco de atacado, Annerie Vreugdenhil, disse que o banco desejava ajudar os clientes a "transformar seus modelos de negócios".

“Um dos elementos-chave nesse processo para os clientes é como lidar com dados e privacidade. ZKSM é o próximo passo nesta jornada ”, comentou ela.

O banco havia lançado aprimoramentos de privacidade de dados semelhantes antes, em novembro de 2017, começando com a Zero-Knowledge Range Proof (ZKRP).