Governo Federal anuncia Rede Nacional de Dados de Saúde baseada em blockchain

Durante o evento dedicado à inovação digital Futurecom, ocorrido entre os dias 28 e 31 de outubro, em São Paulo, o Ministério da Saúde do Brasil anunciou o lançamento da Rede Nacional de Dados de Saúde (RNDS), uma rede de informações em nuvem interestaduais, com objetivo de compartilhar dados através de uma blockchain.
    
“Com a RNDS e essa troca de informações, é possível evitar fraudes e não repetir exames, por exemplo. Atualmente, gasta-se muito dinheiro com exames, que, às vezes, o paciente nem vai buscar. Além disso, há um processo de atendimento rápido. Então, há muitas informações para o médico tomar decisão sobre o cuidado do paciente”, explicou Henrique Nixon, Coordenador Geral de Sistemas de Informação e Operação do Ministério da Saúde.

A ideia é que a rede use uma espécie de contêineres virtuais em núvem para cada estado, permitindo, assim, que todos os estabelecimentos de saúde troquem informações através da blockchain, numa rede segura.

Além da rede, há também o Meu DigiSUS, aplicativo lançado em 2015 e disponível para dispositivos Android e iOS, que voltou a ser anunciado na palestra e passa por atualizações para ajudar na iniciativa de adoção digital do governo.

A ferramenta móvel de serviços digitais fornece ao usuário, informações pessoais e clínicas, e permite monitorar os agendamentos de exames e procedimentos de aproximadamente 12 sistemas, como o Cadastro Nacional de Usuário do SUS (CADSUS),  Sistema de Atenção Básica (e-SUS AB), Sistema de Regulação (SISREG), Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), Programas do Farmácia Popular e Sistema Nacional de Transplantes (SNT).

“É uma plataforma que o cidadão pode consumir os serviços que o governo disponibiliza e ver tudo que está acontecendo no seu CPF. É importante saber quais estabelecimentos acessaram seu prontuário, quais informações foram geradas e quais medicamentos foram dispensados. Então, por meio do aplicativo, você empodera o cidadão para ser o próprio agente da fiscalização”, Nixon comentou.

A Futurecom é um evento de Transformação Digital da América Latina que combina debates e demonstrações sobre as tecnologias disruptivas e a hiper-conectividade como seu principal indutor. O evento do fim de outubro foi sua 21ª edição.

O Brasil tem investido em um processo de digitalização dos procedimentos públicos, tendo o primeiro bebê registrado com blockchain e o BNDES promovendo um evento sobre a tecnologia, como noticiou o Cointelegraph Brasil.

Continue lendo