FX trading não paga clientes, muda de nome, é investigada pela polícia mas suposto golpe continua ativo na f2 trading

A suposa pirâmide financeira FX Trading, que está sendo investida pela policia e teve alerta emitido pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) continua com suas operações usando no nome de F2 Trading e, supostamente, também com o domínio GanharBTC.

Enquanto os operadores da suposta fraude estão angariando novos usuários nas redes sociais com o novo nome, antigos investidores da FX Trading reclamam que não têm acesso aos seus recursos e tampouco qualquer informação se vão ou não reaver o dinheiro investido.

'A empresa prometeu devolver o dinheiro investido e minha conta ja tem valor liberado pra saque e não consigo sacar,a conta está travada e ainda fizeram uma nova plataforma chamada F2trading,não caiam nessa é uma piramide e vai cair rápido como a outra em menos de 8 meses muitas pessoas ainda estão esperando pra poder sacar como eu", diz um dos investidores em um reclamação aberta no portal Reclame Aqui.

A F2 Trading também preservou os mesmos fundadores e principais participantes da FX Trading, incluindo Philip Han à frente do negócio, que se identifica como Global Master Distributor da FX Trading Corp e que recentemente afirmou que as pessoas que não ganham US$ 50 mil por dia são fracassados. 

A suposta pirâmide financeira promete lucros de mais de 3% ao dia e bônus de 300% nos investimentos. Han, antes de lançar a FX trading. já teria participado de outros supostos esquemas, como o iFreex, Mr. Link e WCM 777.

Como reportou o Cointelegraph, as  suposas pirâmides financeiras de Embu das Artes, Luque Investimentos; B&C Operações Ltda-ME; STM Operações & Investimentos; Classe A Investimentos e Hibridos Club Consultoria e Gestão Financeira Ltda estão na mira da Justiça, embora já tenham encerrado operações.

Segundo o levantamento as empresas lesaram milhares de pessoas não só na cidade paulista em em diversos pontos do Brasil prometendo retornos acima de 30% por meio de operações com Bitcoin criptomoedas. Cada vez mais antigos clientes das supostas pirâmides têm procurado a Justiça em busca de receber seus valores investidos.