Fernando Lusvarghi, da Unick Forex, continua foragido e Jurídico alerta investidores, "Se preparem para o pior"

O diretor jurídico da Unick Forex, Fernando Marques Lusvarghi, que também seria o responsável pela S.A Capital, empresa que alegava 'garantir' os investimentos da Unick, continua foragido segundo divulgação. Ao contrário do presidente da empresa, Leidimar Lopes, do Diretor de Marketing, Danter Silva e outras 8 pessoas, Lusvarghi conseguiu 'escapar' da operação Lamanai da Polícia Federal.

No total, a operação Lamanai, cumpriu 65 mandados, entre prisão preventiva e busca e apreensão de bens relacionados a empresa. A operação envolveu 200 policiais federais e foi realizada em oito cidades em pelo menos dois estados do Brasil.

Segundo informações, a Polícia Federal desconhece, por enquanto, o paradeiro do Diretor Jurídico, quanto aos outros presos, a Justiça autorizou a prorrogação da prisão preventiva, dos nove presos na operação, oito estão na Penitenciária Estadual de Canoas e um na sede da Polícia Federal.

Sobre os desdobramentos da Operação e como ela afetará os negócios da Unick Forex, que foi proibida pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM), o jurídico da empresa, Marcos Prata, teria dito a um cliente, "Se prepare para o Pior”.

A informação, com um print de uma conversa com Prata, circula nas redes sociais e contradiz uma mensagem divulgada pelo próprio Marcos recentemente, que alegava que tudo estaria sob controle, declarando ainda que Leidimar Lopes, da cadeia, teria dito que todos os investidores da Unick seriam pagos normalmente.

Como noticiou o Cointelegraph, a Polícia Federal revelou ter apreendido cerca de R$ 200 milhões em contas bancárias relacionadas a Unick Forex. Além do dinheiro foi apreendido, 4 carros de luxo, totalizando mais de R$ 5 milhões em valores da tabela da Fipe; Duas BMW X6, avaliadas em R$ 390 mil; Um Porsche Panamera, de R$ 400 mil; Uma Range Rover Velar, avaliada em mais de R$ 400 mil; 1550 Bitcoins; Bloqueio judicial de 9 imóveis (valor não divulgado); R$ 747 mil reais em dinheiro; R$ 85 mil reais em moedas estrangeiras e diversas joias, que estão passando por perícias para identificar autenticidade.