FEMA sugere registro baseado em blockchain para melhorar liberação de pagamento de seguros contra desastres

A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências dos Estados Unidos (FEMA) está considerando a ideia de um registro de propriedades baseado em blockchain para otimizar os pagamentos de seguro contra desastres.

No mais recente relatório preliminar do National Advisory Draft ao administrador da FEMA, a agência indicou seu interesse em implantar a tecnologia blockchain para otimizar os pagamentos de seguros contra desastres e melhorar a velocidade das respostas a desastres.

Para conseguir isso, a FEMA recomendou o estabelecimento de um registro de propriedades e imóveis baseado em blockchain, contendo todas as informações críticas necessárias para registrar uma demanda de assistência em caso de seguro ou desastre.

Reduzir a taxa de autosseguro para infraestrutura pública

A FEMA sugeriu que esse registro não apenas promoveria a liquidação de uma apólice de seguro, como um “dividendo de desastre” ou uma reivindicação de “danos”, mas também reduziria a taxa de autosseguro para a infraestrutura pública.

Segundo a FEMA, o autosseguro geralmente não significa nenhum seguro, o que faz o governo arcar com as despesas com desastres que não são cobertos.

No relatório, a FEMA observou a capacidade da blockchain e de outras tecnologias emergentes de melhorar os esforços de resiliência e recuperação em um desastre, pois dados críticos podem ser armazenados externamente em uma "plataforma segura e altamente confiável".

Adoção de blockchain no setor de seguros

Existem vários exemplos da implementação bem-sucedida da tecnologia blockchain no setor de seguros globalmente.

Recentemente, a organização de caridade Oxfam International, com sede no Reino Unido, anunciou o sucesso de seu sistema de entrega de microsseguro baseado em blockchain para agricultores de arrozais no Sri Lanka.

A empresa alegou que a blockchain poderia transformar e simplificar o processo de reivindicações de seguros, o que resultaria em custos administrativos reduzidos e uma porcentagem maior de prêmios sendo usados ​​para pagamentos totalmente confiáveis.

Em abril, as Ilhas Virgens Britânicas fizeram uma parceria com a empresa de blockchain Lifelabs.io para lançar uma infraestrutura de pagamento alternativa habilitada para cripto para residentes em todo o arquipelago.

A parceria teve um foco particular no uso de infraestrutura de cripto para apoiar a transferência rápida e confiável de ajuda e acesso a fundos em cenários de emergência.