Exclusivo: CPI das criptomoedas vai investigar Atlas Quantum, Rodrigo Marques, Zero10 e Trader Group; veja o documento completo

O Cointelegraph conseguiu, por meio da Câmara dos Deputados, acesso a íntegra do documento protocolado pelo Deputado Federal Aureo Ribeiro que pede a abertura da CPI das criptomoedas no Congresso Nacional. O RCP 08/2019 - Requerimento de Instituição de CPI, foi protocolado em 16 de outubro e pretende investigar a Atlas Quantum bem como  seu CEO, Rodrigo Marques, além de outras empresas como Zero10 e Trader Group.

No processo, Aureo declara "O aumento do interesse nas transações com criptomoedas tem sido acompanhado de proliferação de fraudes.1 A falta de regulamentação do mercado de criptomoedas e a falta de vigilância rigorosa aliadas ao alto nível de abstração, do anonimato, do perfil transfronteiriço das operações e de outras particularidades inerentes ao mercado de criptoativos deixam clara a existência de potenciais riscos aos usuários e investidores"

Entre as empresas que serão investigadas, caso o processo seja aberto, está a Zero10Club, Trader Group e Atlas Quantum, bem como seu CEO, Rodrigo Marques. O Deputado discorre sobre o caso da Atlas e questiona:

"A fim de abrandar o imbróglio e comprovar a existência de fundos da empresa, a Atlas Quantum publicou um vídeo, no dia 18 de setembro, no qual mostrou um saldo em criptomoedas equivalente a mais de US$ 54 milhões na cotação atual, que estaria retido em três contas da empresa na exchange HitBTC. Contudo, a corretora, em 2 de outubro de 2019, negou, por meio do Twitter, e informou aos investidores que a Atlas Quantum não possui valores presos na plataforma. Afirmou, ainda, que o vídeo é falso e que a equipe da Atlas não fez nenhum pedido oficial de assistência à plataforma20 . Por todo o exposto, há inúmeros investidores com receio de que empresa não tenha como honrar os seus passivos com clientes, caso todos solicitem resgate. Após a repercussão, a empresa apresentou relatório de auditoria que supostamente atesta a quantidade de bitcoins e criptodólares que ela possui. Todavia, seriam eles suficientes para honrar seus compromissos com toda a carteira de clientes?”.

O Deputado destacou que o problema das pirâmides financeiras baseadas em criptomoedas vem atingindo o Brasil inteiro e que o projeto da CPI recebeu bastante atenção tanto dos deputados quando de cidadãos no Brasil.

"É assustador o número de fraudes envolvendo Bitcoin e criptomoedas. Abrimos uma aba em nosso site para que pessoas que tiveram problemas com pirâmides financeiras contassem seus casos e recebemos um volume absurdo de relatos e solicitações de consumidores lesados em todo o Brasil (...) por isso estamos protocolando agora este pedido de abertura de CPI (...) até mesmo onde nasci, em Gramacho, Duque de Caxias fui abordado por um frentista que me contou ter perdido cerca de R$ 17 mil em uma destas pirâmides financeiras", declarou.

O projeto de CPI das Criptomoedas de Ribeiro teve a assinatura de mais de 234 parlamentares, 63 a mais do número necessário para abertura da medida, "Temos recebido tantos relatos que o relator da CPI terá um trabalho gigante (...) Quem tiver algum problema pode acessar o nosso site: www.deputadoaureo.com.br, acessar a aba indicada e fazer sua denúncia sobre pirâmides financeiras com criptomoedas", declarou o deputado.

A partir do protocolo do Deputado, feito hoje, o pedido ainda precisa ser aprovado pelos Deputados, no entanto, dado a receptividade apresentada por Aureo, a abertura da CPI não deve encontrar problema.

Confira o Documento Completo:

 

 

Como noticiou o Cointelegraph, sócios da suposta pirâmide financeira, Wolf Trade Club estão sendo presos, hoje, 16 de outubro, em Curitiba, por conta de operações da Polícia Civil do Estado que também está cumprindo mandados de busca e apreensão de bens da empresa. No total são cerca de 20 mandados sendo executados.

A empresa que já tinha sido proibida de atuar no Brasil pela Comissão de Valores de Valores Mobiliários (CVM), por meio da Deliberação CVM 822, oferecei rendimentos de até 3% ao dia. Embora uma matéria mais cedo do Cointelegraph não tenha revelado as operações da empresa, a WTC não afirmava realizar operações com Bitcoin criptomoedas.