Cryptopia não retomará negócios até que balanços estejam seguros, segundo mensagem

A polícia da Nova Zelândia devolveu o prédio da exchange recém-hackeada Cryptopia e deu permissão para que a empresa retome os negócios. Porém, a exchange ainda não está pronta pra retomar as atividades, de acordo com uma mensagem supostamente enviada por um membro do staff da Cryptoptia no canal oficial do Discord em 24 de fevereiro.

Depois do hack que levou ao roubo de mais de US$16.1 milhões da exchange, a polícia neozelandesa lançou uma investigação com um diversos órgãos internacionais da lei para rastrear os hackers.

O ataque inicial começou em 15 de janeiro, e teria durado cerca de duas semanas, com os fundos removidos de milhares de carteiras de Ethereum (ETH) da exchange.

De acordo com o comunicado destacado no canal Cryptopia Discord por um administradores, enquanto as autoridades locais não estão limitando as atividades da exchange, a empresa não pretende recomeçar imediatamente. Enfatizando os motivos, a mensagem afirma:

“Enquanto a declaração policial diz que não há limitações mais para a retomada das operações e negócio, seria muito imprudente pra nós fazê-lo até que possamos identificar completamente as perdas e garantir que os saldos estão absolutamente seguros”.

A declaração ainda aponta que a na nova legislação da Nova Zelândia, é ilegal que uma empresa permita o comércio irresponsável que coloca em risco os ativos e propriedades dos credores.

Em outras notícias jurídicas, o Cointelegraph noticiou hoje que as autoridades dos Estados Unidos recuperaram e devolveram cerca de US$104.000 roubados da exchange Bitfinex, que sofreu um hack de 120.000 BTC em 2016.

Também recentemente, notícias deram conta que a corretora cripto israelense Coinmama — que permite a compra de Bitcoin (BTC) e Ethereum usando cartão de crédito — sofreu vazamento de dados afetando 450.000 usuários.