CPI das Criptomoedas será apresentada dia 16 de outubro e deve investigar Atlas Quantum e Bitcoin Banco

A proposta de abertura de uma "CPI das Criptomoedas", será apresentada nesta quarta-feira, 16 de outubro, pelo Deputado Federal Aureo Ribeiro (SD-RJ), segundo informações do portal O Globo.

Aureo, que também é autor do PL 2303/2015, deve apresentar a proposta durante os debates da Comissão Especial que avalia o PL proposto pelo Deputado. Ainda segundo o jornal o Globo a CPI, entre outros pontos, deve concentrar, caso seja aprovada, seus trabalhos na investigação das atividades do Grupo Bitcoin Banco e da Atlas Quantum.

"Se a CPI sair do papel, serão investigadas algumas das principais empresas do setor, como o Banco Bitcoin e o Atlas Quantum, suspeitas de terem sumido com mais de R$ 1 bilhão, cada. Outros grupos que não trabalham com bitcoin, mas que são suspeitas de participarem de pirâmide financeira também estão no radar, como a JJ Invest.", afirmou a publicação.

A Assessoria do Deputado não confirmou a informação e declarou que tão logo o documento seja apresentado ele será compartilhado com a imprensa. O projeto de abertura de uma CPI para investigar as operações de empresas de Bitcoin e criptomoedas conseguiu obter muito apoio no Congresso Nacional. Mais de 234 parlamentares, assinaram a petição de Ribeiro, 63 a mais do número necessário para abertura da medida.

Segundo levantamento feito pelo Cointelegraph, empresas como Unick Forex e Investimento Bitcoin também devem entrar na investigação, caso ela seja aprovada.

Como noticiou o Cointelegraph, em um caso de suposto golpe baseado em Bitcoin, investidores têm usado as redes sociais para acusar a Rede Record, a TV Bandeirantes e o SBT pelos canais terem veiculado propagandas e ajudado a promover a suposta pirâmide financeira, Investimento Bitcoin que afirma aplicar no mercado Forex, que é proibído no Brasil pela Comissão de Valores Mobiliários, CVM.

Segundo as vítimas, as propagandas, veiculadas por personalidades famosas da televisão brasileira como Rodrigo Faro e José Luiz Datena, ajudaram a passar 'credibilidade' ao negócio que afirmava oferecer rendimentos de até 1% ao dia.

"Fiz investimento na Investimento Bitcoin pois vi os comerciais da Record e pessoas de renome fazendo o comercial, isso me passou mais certeza para investir, mas agora não consigo sacar meus valores", declarou um investidor de Pelotas, no Rio Grande do Sul.