Na China, Shenzhen identifica 39 exchanges de criptomoeda que desafiam a proibição de trading

As exchanges de criptomoedas que operam ilegalmente em uma cidade da China enfrentarão a ira de um esforço conjunto do governo que visa sua expulsão, afirmam reportagens.

Em 22 de novembro, as autoridades de Shenzhen identificaram um total de 39 exchanges em desacordo com a proibição de exchanges de criptomoedas em solo chinês, de acordo com a agência de notícias local Sanyan Finance.

PBoC destaca Bitcoin e Ethereum na ação

A operação incluía a participação do banco central chinês, o Banco Popular da China (PBoC), do Escritório de Investigação Econômica do Departamento de Segurança Pública Municipal e da Administração Municipal de Comunicações.

Ainda não se sabe quais são as consequências para as exchanges envolvidas, com o Sanyan destacando o desejo das auoridades de reprimir a liquidez.

Uma tradução aproximada indica que as medidas envolvem uma abordagem em três frentes:

“Foi relatado que a ação se concentrará em três atividades: primeiro, fornecer serviços de negociação em moeda virtual ou abrir locais de negociação em moeda virtual na China; segundo, prover canais de serviço para locais de negociação de moedas virtuais no exterior, incluindo serviços como drenagem e negociação de agências e por último, a venda de tokens em vários nomes, arrecadação de fundos para investidores ou moedas virtuais como Bitcoin e Ethereum.”

O Cointelegraph já havia observado anteriormente a existência dos planos de Shenzhen, que também têm como alvo entidades fora do setor de exchanges.

Não ocorreu nenhuma operação policial, diz Binance

Como o Cointelegraph relatou, a China continua a apresentar uma postura variada em relação às criptomoedas. Após expressar apoio publicamente à tecnologia blockchain no mês passado, a mídia chinesa emitiu avisos para não que não se confundisse o apoio com o endosso a fenômenos como o Bitcoin.

Nesta semana, a Binance negou rumores de que a polícia tivesse invadido seu escritório em Xangai. Logo depois, a exchange Bithumb também negou a ideia que planejava fechar seu posto avançado de Xangai, enquanto a Huobi afirmou o mesmo.

“Ouvimos falar disso através da mídia, em alguns relatos. Porém, ainda não recebemos instruções específicas”, afirmou um representante da Huobi.

Comentando a ação de Shenzhen, o CEO da Binance, Changpeng Zhang, elogiou o que considerou um esforço para remover os atores ruins.

"Isso é realmente uma coisa muito boa, tirar golpistas e fraudadores do setor", escreveu ele em resposta à parceira fundadora da PrimitiveCrypto, Dovey Wan.

Wan alegou que os alvos ação de fechamento eram "muito provavelmente fraudes envolvendo ponzi e cripto, já que Shenzhen é conhecida como centro de tais atividades".