China: Regulador de Forex adverte contra fluxos ilegais de criptomoedas

O regulador de câmbio da China alertou que os mercados emergentes precisam reforçar o contorle dos fluxos de capitais transfronteiriços ilegais por meio de criptomoedas.

Sun Tianqi, contador-chefe da Administração Estatal de Câmbio da China (SAFE, na sigla em inglês), deu suas declarações em um fórum que acontece nesta segunda-feira em Xangai, de acordo com uma reportagem da Reuters de 28 de outubro.

China fechou mais de 2.000 plataformas de negociação forex

Tianqi pediu que os reguladores globais cooperem no combate às transações transfronteiriças ilegítimas, ressaltando os riscos que a inovação em fintech representa para o controle cambial.

Ele revelou que o estado chinês havia fechado mais de 2.000 plataformas de negociação forex, mas ainda não elaborou o próximo passo.

Em novembro, Tianqui havia pedido que o Libra do Facebook fosse classificado como moeda estrangeira e integrado à estrutura de gerenciamento de câmbio da China. Caso contrário, o ativo deveria ser proibido, disse ele.

Adoção nacional de blockchain

Conforme relatado, a SAFE também defendeu nesta semana a aplicação de blockchain e inteligência artifical no financiamento transfronteiriço, com especial atenção ao gerenciamento de riscos e macroprudencial.

Após o endosso oficial do presidente Xi à tecnologia blockchain no início desta semana, as ações a-share para empresas de blockchain listadas na Bolsa de Valores de Xangai dispararam.

O Banco Popular da China também pediu nesta semana uma aceleração da aplicação da blockchain nas finanças digitais, enquanto a indústria global aguarda a implementação de seu renminbi digital.

Os comentaristas locais apontaram para o aumento da tensão entre controle nacionalizado e antagonismo de longa data em relação ao uso da tecnologia pelo setor privado.

Os dados de pesquisa do WeChat apontam para um grande aumento no interesse popular em blockchain e Bitcoin, com pesquisas para o termo "blockchain" indo de 770.000 para 9,2 milhões em apenas dois dias.

Até o momento desta publicação, o Bitcoin era negociado acima de US$ 9.400 - um crescimento de mais de 16% na semana, após um aumento de 42% dos preços intradiários em 26 de outubro - sua escalada mais rápida desde 2011.