Saída de capitais de grandes exchanges supera entrada por quase US$ 622 milhões nos últimos cinco dias

A provedora de dados blockchain TokenAnalyst estima que a saída de capitais de grandes exchanges superou a entrada por quase US$ 622 milhões nos últimos cinco dias, como a Bloomberg noticiou em 15 de maio.

Baseada em Londres, a TokenAnalyst teria baseado a quantia em análises de retiradas e influxo de capitais em múltiplas plataformas de negociação cripto — incluindo Bitfinex, BitMEX, Binance e Kraken.

Enquanto o Bitcoin (BTC) continua seu rali e atinge máximas de meses, a matéria da Bloomberg também afirma que seu forte desempenho de preço pode ter sido inflado em parte pela recente fuga de capitais de investidores não convencidos pela onda de polêmicas que afetam a exchange Bitfinex e emissora da stablecoin atrelada a USD Tether.

Como noticiado, o escritório da Procuradoria Geral de Nova York (NY OAG) recentemente acusou a Bitfinex de perder US$ 850 milhões em depósitos de usuários e secretamente cobrir as perdas usando fundos do Tether — que também se envolveu em críticas por ter reservas de USD de apenas 74%. Ambas as empresas refutaram as acusações e contestaram a ordem da NY OAG.

A Bloomberg então analisa os dados da TokenAnalyst, que revela que a Bitfinex teve saídas líquidas de mais de US$ 1,7 bilhão em Bitcoin e Ether (ETH) desde 26 de abril — data da denúncia da NY OAG. Ela também diz que o Bitcoin teria sido negociado a um prêmio de até 6% na véspera da controvérsia - mesmo que outras moedas tenham sofrido perdas devido à prevalência do Tether (USDT) como um ativo intermediário em todos os mercados.

A Bloomberg diz que o prêmio chegou nesta semana, depois de relatos de que a Bitfinex conseguiu levantar US$ 1 bilhão em investimentos através de venda privada de tokens do novo câmbio nativo de tokens LEO.

John Griffin — professor de finanças na University of Texas em Austin — disse à Bloomberg que “já que que o Tether tem garantias insuficientes, isso significa que as reservas garantindo ativos de clientes em exchanges podem ser insuficientes”. Ele então disse:

“Consumidores inteligentes não irão guardar seus fundos nas exchanges e devem tirá-los delas. Isso poderia então pressionar os preços de Bitcoin, já que alguém trocaria um dinheiro falso por Bitcoin.”

Como noticiado, o  Professor Griffin foi um dos coautores de um estudo importante sobre o papel do Tether em práticas de manipulação do mercado, publicando um ensaio em junho 2018 que diz que o Tether estava sendo "usado para oferecer suporte de preços e manipular preços de criptomoedas” — deflacionando artificialmente o preço do Bitcoin para maximizar retornos de curto prazo em contratos futuros.