Empresa blockchain de genoma e farmacêutica Merck assinam contrato de compartilhamento anonimizado de dados

A empresa blockchain Nebula Genomics anunciou uma colaboração com a EMD Serono, empresa biofarmacêutica norte-americana da Merck KGaA - a empresa farmacêutica mais antiga do mundo ainda em operação. A notícia foi anunciada em um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 11 de junho.

Como publicado anteriormente, a Nebula é uma plataforma com tecnologia blockchain para dados de sequenciamento do genoma, cofundada em 2017 pelo renomado geneticista Professor George Church e seus colegas de Harvard Dennis Grishin e Kamal Obbad.

A plataforma se vale da tecnologia blockchain para incentivar a geração e o compartilhamento de dados genômicos e reduzir os custos do sequenciamento do genoma, preservando a privacidade e o controle dos indivíduos sobre seus dados exclusivos e confidenciais.

Em sua colaboração com a EDM Serono, a Nebula fornecerá à empresa acesso a sua rede de dados genômicos anônimos, a fim de apoiar a pesquisa e o desenvolvimento de novos medicamentos.

Em uma postagem de blog compartilhada com o Cointelegraph, a Nebula destacou que seu acordo com a EDM Serono representa sua primeira tentativa de realizar um modelo de sequenciamento do genoma patrocinado.

O post do blog também inclui um link para uma pesquisa para pacientes com câncer de pulmão, que são convidados a se inscrever para uma linha germinativa de alta cobertura e sequenciamento genético completo de tumores que podem ajudá-los a fazer melhores escolhas de tratamento, além de contribuir para a pesquisa em oncologia.

O comunicado de imprensa observa que a criação e análise de grandes conjuntos de dados genômicos detém um potencial transformador para a pesquisa médica e biomédica, mas que a geração lenta de dados, fragmentação de dados e gerenciamento de consentimento ineficiente atualmente representam obstáculos para a realização desse potencial.

Como relatado na semana passada, a grande empresa farmacêutica Boehringer Ingelheim firmou recentemente uma parceria com a plataforma blockchain direcionada à saúde Solve.Care para construir uma rede alimentada por blockchain de ativos digitais para o compartilhamento confiável de dados sobre pacientes com diabetes.

Em janeiro deste ano, a Merck recebeu uma patente nos Estados Unidos no início deste ano por um sistema que usa uma combinação de inteligência artificial e tecnologia blockchain para estabelecer a autenticidade de objetos físicos únicos.

Um relatório aprofundado do Cointelegraph no outono passado cobriu a Nebula Genomics e outros projetos que estão trabalhando em soluções blockchain que visam inovar os modelos de propriedade e circulação para dados genômicos altamente sensíveis e cientificamente valiosos.