Bitfinex e Tether respondem ao Juiz de Nova York e dizem que recorrerão da decisão de prosseguir com o caso em NY

A Bitfinex e a Tether responderam à recente decisão do Juiz Joel Cohen no processo em curso contra as empresas aberto pelo Procurador Geral de Nova York (NYAG). Cohen rejeitou a moção da Bitfinex de rejeitar o caso devido à falta de jurisdição, então a NYAG continuará a processar as empresas por meio do Martin Act.

BitFitex emitiu a sua resposta em um post oficial em 20 de agosto. Tether publicou a mesma resposta em seu site, também em 20 de agosto. As companhias sustentam que as alegações da NYAG são sem mérito e dizem que vão recorrer da decisão no tribunal de apelações. .

Alegações da NYAG

Em abril, a NYAG apresentou uma queixa contra a iFinex, Bitfinex e Tether alegando que as empresas fraudaram os investidores de Nova York, cobrindo uma perda de US$ 850 milhões na plataforma de negociação Bitfinex.O Procurador Geral Letitia James escreveu:

“Nossa investigação determinou que os operadores da plataforma de negociação 'Bitfinex', que também controlam a moeda virtual 'tether', se engajaram em um encobrimento para esconder a perda aparente de US$ 850 milhões de fundos de clientes e corporações co-misturados. .

Jurisdição é a chave

Em um caso não relacionado e anteriormente relatado pelo Cointelegraph, o juiz do Supremo Tribunal da Inglaterra e do País de Gales, Matthew Nicklin, descartou uma ação por difamação alegando que o tribunal não tinha jurisdição.

Craig Wright levou o processo contra o proponente do Bitcoin Cash ( BCH ) e o CEO da Bitcoin.com, Roger Ver. Wright é um cientista da computação que declara que ele é Satoshi Nakomoto, ou seja, o criador do Bitcoin ( BTC ) - um ponto chave em outra batalha legal que ele está lutando.

Em sua decisão, o juiz Nicklin escreveu:

“A evidência demonstra claramente que a publicação mais substancial das declarações reclamadas é nos Estados Unidos. É pacífico que, da publicação global, apenas cerca de 7% ocorreram na Inglaterra e no País de Gales.”