BBC: Novos arquivos conectam US$ 450 milhões em BTC com a inteligência russa

450 milhões de dólares em criptomoedas perdidas da extinta exchange de criptomoedas WEX, podem ter sido transferidas para um fundo pertencente à agência de inteligência russa (Federal Security Bureau - FSB), de acordo com uma investigação do Serviço Russo da BBC, publicada em 15 de novembro.

A recente investigação da BBC sobre o caso da exchange BTC-e, em que o co-fundador Alexander Vinnik é acusado de fraude e lavagem de até US $ 4 bilhões em Bitcoin (BTC), ao longo de seis anos, revelou novos detalhes que supostamente conectam os fundos perdidos à FSB.

Exigiu a entrega de criptoativos à FSB

A BBC recuperou arquivos de áudio que supostamente conectam uma pessoa chamada Anton - supostamente ex-oficial da FSB - com Aleksey Bilyuchenko, co-fundador da BTC-e, e Konstantin Malofeyev, que supostamente estava por trás da venda da WEX, um spin-off problemático da BTC-e.

Durante uma reunião de negócios em 2018, Anton teria solicitado que Bilyuchenko entregasse as carteiras frias que continham ativos criptográficos da WEX para ele. Após a suposta entrega, Bilyuchenko foi entregue a um departamento da FSB em Moscou, onde vários oficiais à paisana o interrogaram sobre as operações da WEX.

No dia seguinte, Anton supostamente exigiu que Bilyuchenko transferisse todas as criptomoedas armazenadas nas carteiras da WEX, afirmando que os ativos seriam entregues ao "fundo da FSB na Russia". Na época, as carteiras continham US$ 450 milhões em criptomoedas, parte da qual pertencia aos clientes da exchange.

Bilyuchenko finalmente concordou em transferir o montante acima mencionado. Os dados do Blockchain.com e do Explorer.Litecoin.net indicaram que 30.000 BTC e 700.000 Litecoins (LTC) foram transferidos das carteiras acima mencionadas - o equivalente a US$ 350 milhões na época.

Outras alegações contra as partes associadas

Em julho, Dmitri Vasilyev, ex-CEO da WEX, foi preso na Itália. Em abril de 2019, Vasilyev foi alvo de uma investigação criminal pelo departamento de polícia da cidade cazaque de Almaty, pois o suposto suspeito foi acusado de dar um golpe em um investidor local, no valor de US$ 20.000, por meio da exchange WEX.

No mesmo mês, os promotores dos Estados Unidos apresentaram uma queixa contra a BTC-e. De acordo com o registro, a Rede de Execução de Crimes Financeiros (FinCEN) determinou multas civis para a BTC-e no ano passado, que enfrenta multas de mais de US$ 88 milhões.

O documento declarou abertamente que a BTC-e não tentou se registrar na FinCEN, implementar práticas de combate à lavagem de dinheiro ou relatar atividades suspeitas.