ArbCrypto, que tem o pentacampeão Cafu como embaixador, atrasa saques e é investigada pela Polícia

A ArbCrypto, empresa que tem Cafu, capitão do pentacampeonato da Copa do Mundo de futebol, como embaixador, retém os saques de seus clientes há mais de um mês e já é investigada pela Polícia Civil.

No site Reclame Aqui, a ArbCrypto já possui reclamações sobre saques bloqueados, sem responder aos chamados de clientes na plataforma online de avaliação de serviços. As reclamações começaram há cerca de dois meses.

Entre os reclamantes, há relatos de quem investiu mais de R$ 74 mil e não conseguiu sacar o dinheiro. Muitos falam em "saques bloqueados", "dinheiro preso", "fraude" e "empresa enganosa". Ao todo, são 38 reclamações sem resposta da ArbCrypto no Reclame Aqui. 

Segundo o portal LiveCoins, a Polícia Civil de Barueri (SP) já instaurou um inquérito para investigar a empresa, que oferece retorno de investimentos de até 2,5% ao dia e é suspeita de pirâmide financeira. Segundo informaram as autoridades, um grupo de 50 clientes lesados pela empresa procurou a polícia pois não conseguem concluir saques na plataforma.

Segundo a polícia, a empresa alega ter sido alvo de um hacker, alegações que também foram usadas por empresas suspeitas como o Grupo Bitcoin Banco e a Unick Forex.

Como noticiou o Cointelegraph Brasil, o pentacampeão da seleção brasileira Cafu foi anunciado como embaixador da ArbCrypto, participando de eventos que teriam objetivo de angariar clientes. Os rendimentos prometidos da empresa de até 2,5% envolviam um programa de marketing multinível e recebimentos em Bitcoin.

Leia mais: