YouTube citado como réu em ação coletiva contra a BitConnect

De acordo com os documentos de tribunal apresentados em 3 de julho, o YouTube foi citado como réu em uma ação coletiva contra a BitConnect.

O processo foi inicialmente aberto em 24 de janeiro por seis indivíduos representados pela firma de advocacia Silver Miller. Os reclamantes afirmam que a plataforma de investimento em cripto BitConnect emitiu tokens cripto que eram títulos não registrados e obteve fundos adicionais por meio de um "amplo esquema Ponzi". Os autores afirmaram que suas perdas pessoais totalizaram US $ 771.000. A BitConnect supostamente usou os fundos recebidos de novos investidores para atender às expectativas dos existentes.

Por documentos judiciais adquiridos pela Cointelegraph, a BitConnect e suas partes afiliadas publicaram uma série de vídeos promocionais no YouTube, que foram considerados inadequados, já que o material supostamente atraiu potenciais investidores para um esquema de investimento fraudulento. Diz-se que o YouTube não conseguiu separar e desmonetizar os vídeos publicados, o que expôs “incontáveis” usuários do YouTube a vídeos prejudiciais e investimentos promovidos ilegalmente.

Os dez principais afiliados da BitConnect no YouTube teriam postado mais de 70.000 horas de conteúdo não editado, o que gerou 58.000.000 de visualizações. O documento diz que o número de visualizações de vários vídeos dos promotores afiliados excedeu em muito os números de limite para os padrões de qualificação "aprimorados". Notavelmente, um bom número de usuários notificou o YouTube de atividade fraudulenta pela BitConnect, postando vídeos com títulos como "Como o golpe bitconnect funciona em grandes detalhes", "Craig Grant Explica o golpe Bitconnect", e outros. Em um email para a Cointelegraph, David Silver, da Silver Miller, disse:

“Este caso não é sobre o YouTube ser o orador ou editor do conteúdo em seu site. Em vez disso, a responsabilidade baseia-se na incapacidade do YouTube de agir depois de ser alertado do conteúdo publicado diretamente no YouTube sobre o dano prontamente previsível causado por seus parceiros de publicidade ... Como diz o velho ditado: às vezes, quando você se deita com cachorros, pega pulgas".

Os requerentes afirmam que, se o YouTube tivesse realizado uma pesquisa adequada em seus bancos de dados, ele teria retirado os vídeos nocivos do BitConnect. Em vez disso, o YouTube supostamente aceitou um número crescente de vídeos relacionados à BitConnect, o que resultou em inúmeras vítimas, incluindo muitos membros da classe.

O documento também se refere à Google LLC, que mudou sua política de produtos financeiros para banir todos os anúncios relacionados a criptomoeda e conteúdo associado devido a um dano potencial aos usuários de plataformas de propriedade do Google, incluindo o YouTube. O documento conclui:

"O YouTube falhou como um guardião para proteger seus usuários e avisar seus usuários sobre os danos que o YouTube causou para evitar com seus protocolos de publicidade e algoritmos proprietários".