Walmart está tentando patentear seu próprio "Libra" como moeda digital

Um novo registro de patentes sugere que o Walmart , gigante do varejo dos Estados Unidos, pode estar desenvolvendo sua própria moeda digital, atrelada ao dólar, semelhante à criptomoeda Libra, do Facebook.

Walmart registrou patente para “Moeda Digital via Blockchain”

O número de registro de patente 20190236564, "Sistema e método para moeda digital via blockchain", foi publicado pelo Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) em 1º de agosto. O documento descreve um método para:

“A geração de uma unidade monetária digital, vinculando a unidade monetária digital a uma moeda comum; armazenar informações da unidade monetária digital em um bloco de blockchain; comprar ou pagar com a unidade monetária digital.”

O Walmart prossegue, delineando que o projeto de moeda digital proposto pode fornecer um local com taxa zero ou baixa para que os usuários armazenem riqueza; que pode ser facilmente resgatado e convertido para armazenar dinheiro em varejistas ou parceiros selecionados. Essas contas podem até ser remuneradas, acrescenta o pedido.

A moeda digital poderia, alternativamente, ser desenvolvida de modo a poder ser usada em qualquer lugar, nos estados de depósito, com apoio prospectivo do USD garantindo maior facilidade de depósitos e saques. Ele poderia, em outro cenário, estar ligado a moedas digitais, ao invés de fiduciárias.

Corporações se tornando bancos alternativos

Logo no início do processo, o Walmart propõe que o lançamento de sua moeda digital poderia fornecer às famílias de baixa renda, para quem os bancos são caros, “uma forma alternativa de administrar a riqueza em uma instituição que pode suprir a maior parte das necessidades financeiras e de produtos do seu dia-a-dia.”

A “moeda digital protegida por blockchain” - como o Walmart a chama - poderia desafiar ainda mais os bancos incumbentes ao remover a necessidade de cartões de crédito e débito:

“A moeda digital pode atuar como um crédito biométrico [...] pré-aprovado. A pessoa é o "cartão de crédito" em seu próprio banco de valores digital."

O varejista ainda imagina que o escopo de sua moeda digital poderia se estender para formar um ecossistema de serviços mais amplo, com blockchain, prevendo a criação de uma “troca de valor de plataforma aberta para compras e para o trabalho de cooperação”.

Isso permitiria que os clientes comprassem produtos ou serviços para si mesmos e para outros - usando a plataforma para contratar um técnico para reparos, um associado ou um comprador designado por um determinado período de tempo.

Embora atualmente enfrente um forte retrocesso regulatório, o projeto da stablecoin do Facebook, o Libra, tem a mesma ambição de fornecer transferência de valor sem margens e de baixo custo e construir uma rede digital impulsionada por moedas.

Para o Walmart, seus projetos relacionados à blockchain até agora têm se concentrado no uso da tecnologia em áreas como gerenciamento da cadeia de suprimentos, mercados de clientes e aparelhos inteligentes.