Tesouro dos EUA sanciona grupos norte-coreanos de hackers por ataques cibernéticos

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou novas sanções contra três grupos de hackers norte-coreanos, responsáveis pela "atividade cibernética maliciosa da Coréia do Norte".

Continuar a aplicar as sanções existentes nos EUA e na ONU contra a Coréia do Norte

Em 13 de setembro, o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou sanções contra grupos de hackers norte-coreanos, mais especificamente o renomado grupo Lazarus, e duas entidades menos conhecidas, Bluenoroff e Andariel. Sigal Mandelker, subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira, disse:

“O Tesouro está tomando medidas contra grupos de hackers norte-coreanos que praticam ataques cibernéticos para apoiar programas ilícitos de armas e mísseis. [...] Continuaremos a aplicar as sanções existentes nos EUA e na ONU contra a Coréia do Norte e trabalharemos com a comunidade internacional para melhorar a segurança cibernética das redes financeiras.”

Coréia do Norte faturou US$ 2 bilhões hackeando bancos e exchanges

Em agosto, o Cointelegraph informou que as Nações Unidas alegaram que a Coréia do Norte havia arrecadado cerca de US$ 2 bilhões hackeando bancos e exchanges. O Conselho de Segurança da ONU, mais especificamente o Comitê de Sanções para a Coréia do Norte, declarou ainda que os hackers formavam uma parte essencial do financiamento do governo da Coréia do Norte, relatando:

“Os ciber atores da República Popular Democrática da Coréia operam sob a direção do Departamento Geral de Reconhecimento e arrecadam dinheiro para seus programas de armas de destruição em massa, com um total de receitas estimadas em até dois bilhões de dólares.” 

Coreia do Norte nega as acusações da ONU

Em 1 de setembro, o Cointelegraph informou que a imprensa oficial do Estado da Coréia do Norte, a Agência Central de Notícias da Coréia (KCNA), negou as alegações de roubo em massa por agentes norte-coreanos. O KCNA citou uma declaração do Comitê Nacional de Coordenação da República Popular Democrática da Coréia (RPDC) para Combate à Lavagem de Dinheiro e Combate ao Financiamento do Terrorismo, que acusou os Estados Unidos e outras forças hostis de espalhar boatos difamatórios. Dizia:

 

 

“Tal fabricação pelas forças hostis não passa de uma espécie de jogo sujo que visa manchar a imagem de nossa República e encontrar justificativa para sanções e pressão contra a RPDC.”  

A declaração acrescentou ainda que a ONU está “reencenando o mesmo velho truque que os propagandistas fascistas de Hitler costumavam utilizar”.