Coréia do Norte nega ter roubado US $ 2 bilhões em bancos e exchanges de criptomoedas

A Coréia do Norte nega as acusações de obter US $ 2 bilhões por meio ataque hackers a bancos e exchanges de criptomoedas.

Coréia do Norte acusa EUA de espalhar boatos

Em 1º de setembro, a mídia oficial do país, a Agência Central de Notícias da Coréia (KCNA), negou as acusações de roubo em massa por agentes norte-coreanos. 

Como o Cointelegraph relatou anteriormente, o comitê de sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas na Coréia do Norte disse que “os ciber atores da República Popular Democrática da Coréia estavam arrecadando dinheiro para seus programas de armas de destruição em massa, com um total de receitas estimadas em até dois bilhões de dólares americanos"

Em resposta, a KCNA citou uma declaração do Comitê Nacional de Coordenação da RPDC para Combate à Lavagem de Dinheiro e Combate ao Financiamento do Terrorismo, que alega que os Estados Unidos e outras forças hostis estão agora espalhando rumores difamatórios. Dizia:

"Essa invenção das forças hostis não passa de uma espécie de jogo desagradável que visa manchar a imagem de nossa República e encontrar justificativa para sanções e campanhas de pressão contra a RPDC."

A declaração acrescenta ainda que a ONU está “reencenando o mesmo velho truque que os propagandistas fascistas de Hitler costumavam se apegar”.

Coréia do Sul mais atingida por ataques cibernéticos na Coréia do Norte

Como o Cointelegraph relatou anteriormente , a ONU estava investigando 35 supostos ciberataques norte-coreanos em 17 países, dos quais 10 foram diretamente direcionados à Coréia do Sul, enquanto a Índia foi vítima de três ataques.