Estado americano do Colorado planeja implementação de blockchain em gestão de direitos da água

O estado estadunidense do Colorado está examinando a possibilidade de implementar blockchain na gestão de direitos da água. A lei correspondente foi publicada pelo website da Assembléia Geral do Colorado nesta quarta-feira, 6 de março.

O senador republicano Jack Tate, juntamente com os deputados democrata Jeni James Arndt e republicano Marc Catlin, apresentaram o projeto de lei que pede ao Colorado Water Institute da Universidade do Estado do Colorado que estude o potencial de implementação da tecnologia para gerir a base de dados dos direitos da água.

Além disso, a assembléia quer entender se a blockchain pode ser usado para operar os mercados da água, bancos de água e contribuir com a administração geral do recurso.

Para dar sequência ao experimento, o instituto tem permissão de buscar e aceitar doações de recurso públicas e privadas. Se o instituto falhar no arrecadamento de fundos necessário para os testes, ele será cancelado, segundo o projeto de lei.

Em fevereiro, a IBM e o provedor de tecnologia de sensores SweetSense fecharam parceria com a organização sem fins lucrativos The Freshwater Trust e a Universidade do Colorado, para usar blockchain e a tecnologia da Internet das Coisas (Internet of Things) para gerir as águas subterrâneas. Os testes seriam conduzidos em um dos maiores aquíferos da América do Norte, no delta dos rios Sacramento-San Joaquin no norte da Califórnia.

Como o Cointelegraph noticiou anteriormente, a fundação Fórum Econômico Mundial (WEF) descobriu mais de 65 casos para uso de blockchain para resolver alguns dos mais problemáticos desafios ambientais globais. A fundação WEF acredita que a tecnologia pode transformar completamente a gestão de cadeias de suprimentos, sistemas descentralizados de energia e água, fontes de financiamento sustentável e mercados de carbono.