Parceria da IBM usa blockchain e IoT para combater seca na Califórnia

Um projeto colaborativo da IBM usando blockchain e Internet das Coisas (IoT) para combater a seca está em andamento no estado da Califórnia, nos Estados Unidos de acordo com um comunicado publicado na última sexta-feira, 8 de fevereiro.

A fornecedora de tecnologia de sensores e pesquisa da IBM, a SweetSense, se associou à organização sem fins lucrativos The Freshwater Trust (TFT) e à Universidade Colorado em Boulder para usar a tecnologia blockchain e IoT no gerenciamento sustentável do uso de águas subterrâneas, no que eles descrevem como “um dos maiores e sob maior risco aquífero da América do Norte ”- localizado no Delta do Rio Sacramento-San Joaquin, no norte da Califórnia.

Um aquífero é uma camada subterrânea de rocha com água que permite a extração da água subterrânea e distribuição pelo ecossistema de uma região. Cobrindo 1.100 milhas quadradas, o Delta do Rio Sacramento-San Joaquin é considerado o "nexo do sistema estadual de águas da Califórnia" e será o campo de testes para o novo piloto de sustentabilidade.

De acordo com o comunicado, o projeto envolverá o uso de sensores IoT para transmitir dados de extração de água para satélites em órbita, que são usados simultaneamente para detectar as correlações de chuva e clima. Os dados serão então gravados na plataforma IBM Blockchain compatível com smart contracts e hospedada em nuvem.

Os consumidores de água - incluindo agricultores, financiadores e reguladores - podem usar um painel baseado na web para interagir com a blockchain e monitorar o uso da água subterrânea em tempo real.

Com um rastreamento preciso no local, o sistema pode ser usado para emitir as chamadas “quotas de água subterrânea” que podem ser compradas e comercializadas por pessoas na região, de modo que aqueles que não necessitam de todo o suprimento de água podem trocá-lo como créditos com aqueles que exigem mais.

Para contextualizar a iniciativa, o comunicado observa ainda que o TFT ajudou a estabelecer a Agência de Sustentabilidade da Água Subterrânea do Norte, que integra várias agências menores para trabalhar em conjunto no uso sustentável de água subterrânea. A agência faz parte de uma série dessas entidades em todo o estado que foram obrigadas a enfrentar o desafio ambiental depois que a Califórnia assinou sua Lei de Gestão de Águas Subterrâneas Sustentáveis (SGMA, na sigla em inglës) em 2014.

Além dos EUA, a SweetSense já vem implementando sua tecnologia de sensores para monitorar o fornecimento de água subterrânea para mais de 1 milhão de pessoas no Quênia e na Etiópia, com planos de expansão para 5 milhões até o final de 2019.

Conforme informado no ano passado, a fundação do Fórum Econômico Mundial (WEF) descreveu mais de 65 casos de uso de blockchain para resolver os desafios ambientais mais iminentes do mundo. Além de melhorar os sistemas legados, a fundação WEF propôs que as soluções blockchain, entre outras áreas, transformarão completamente a gestão de cadeias de suprimento, sistemas descentralizados de energia e água, fontes de captação de recursos sustentáveis e mercados de carbono.