Secretário de Estado dos EUA quer regulamentar BTC tal qual demais transações eletrônicas

O Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, acredita que o Bitcoin (BTC) deveria ser regulado da mesma forma que outras transações financeiras eletrônicas.

Riscos de segurança a partir da redução do monitoramento governamental

Em entrevista ao Squawk Box em 20 de agosto, Pompeo apontou para os riscos de transações anônimas associadas a criptomoedas, dizendo:

“O risco com transações anônimas é aquele que todos nós conhecemos bem. Sabemos disso a partir do 11 de setembro e da atividade terrorista, que durou os 15 anos anteriores a ele, que não tivemos um bom acompanhamento, não tínhamos a capacidade de entender os fluxos de dinheiro e quem estava movimentando dinheiro ”.

O apresentador da CNBC, Joe Kernen, levantou o tema do uso de Bitcoin pelo terrorismo. Kernan abordou, por exemplo, as tensões geopolíticas no Oriente Médio, para depois recordar de uma afirmação famosa do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, que disse que o dinheiro não é usado para atividades ilícitas, caso do Bitcoin.

Quando questionado sobre sua posição em relação às declarações de Mnuchin, Pompeo pareceu concordar com o secretário em partes, expressando sua esperança de que as transações criptográficas e anônimas não se tornassem a norma, já que elas "diminuiriam a segurança para o mundo".

Regulação padrão

No entanto, em contraste com a posição de Mnuchin pela imposição regulamentações fortes no espaço cripto, Pompeo disse que seria importante regular o Bitcoin da mesma forma que todas as outras transações financeiras eletrônicas de hoje.

Recentemente, um ex-executivo do banco de investimento multinacional alemão Deutsche Bank publicou um artigo defendendo que o Bitcoin é um indicador importante de tensões geopolíticas.