Urpay passa a bloquear contas de clientes da Unick Forex e culpa determinação judicial, mas diz que bloqueio é temporário

A empresa de soluções de pagamento Urpay surpreendeu clientes ligados à Unick Forex - empresa que na semana passada teve seu presidente e diretores presos pela Polícia Federal - ao bloquear suas contas sem aviso prévio, justificando o fato culpando uma determinação da Justiça.

Ao tentar acessar suas contas na Urpay, os clientes da Unick Forex estariam se deparando com a seguinte mensagem:

“Prezado Cliente. Na data de 18 de outubro de 2019, sua conta foi bloqueada provisoriamente conforme determinação da Sétima Vara  Federal de Porto Alegre, pedido número 5064097-48.2019.4.04.7100/RS e mandado número 710009634859”.

O suposto processo estaria em segredo de Justiça, não sendo possível acessar os autos para saber o que levou à determinação de bloqueio. Em nota oficial, a empresa diz que as contas digitais foram bloqueadas pela decisão, que determinou apreensão de bens e ativos de terceiros que possam ter ligação com a Unick Forex:

"Portanto, informamos aos usuários que utilizaram o meio de pagamento URPay Brasil para envio ou recebimento de valores perante a empresa UNICK SOCIEDADE E INVESTIMENTOS LTDA, inscrita no CNPJ sob o nº.: 19.047.764/0001-60, até a data de 18 de outubro de 2019, sua co+.nta digital foi bloqueada provisoriamente conforme decisão Judicial onde se determinou que todos os bens e ativos de terceiros que possam ter tido alguma ligação com a empresa UNICK sejam apreendidos."

No comunicado, a Urpay ainda salienta que o bloqueio seria temporário, mas contradiz-se ao dezer que já pediu à Justiça informações para esclarecer "se seus ativos deverão ser liberados ou bloqueados definitivamente".

Na nota, a empresa ainda alega nas que seus serviços estão funcionando normalmente e que desde a última segunda-feira, 21 de outubro, o atendimento seria feito pelo chat, das 9 às 18h de segunda a sexta-feira.

A Urpay oferecia serviços de pagamento e transações aos clientes da Unick Forex, chegando a ser acusada pela empresa, hoje conhecida por crimes contra a economia popular e lavagem de dinheiro, de ser responsável pelos atrasos e bloqueios de saques de clientes.