Unocoin reduz equipe em 50% antes de decisão de criminalidade da Suprema Corte indiana

A exchange de criptomoedas indiana Unocoin demitiu metade de sua equipe, deixando 14 trabalhadores na empresa, informou o jornal The Economic Times no dia 16 de abril.

Citando a incerteza regulatória na indústria, a Unocoin disse que tomou a decisão antes de uma audiência da Suprema Corte sobre o status legal da criptomoeda na Índia, marcada para julho.

Como relata o Cointelegraph, as exchanges do país enfrentaram uma moratória nos serviços bancários desde que o banco central, o Reserve Bank of India (RBI), implementou uma proibição de negócios com cripto no ano passado.

O setor está em processo de reverter a decisão do RBI, que tomou forma de um longa batalha na Suprema Corte.

Desde o seu auge, a Unocoin demitiu mais de 80% de seus funcionários e atualmente está fugindo das reservas de capital, enquanto os executivos aguardam notícias sobre o futuro.

"Pedimos às pessoas que saíssem na semana passada, mas nossas operações continuarão no futuro previsível", disse o CEO Sathvik Vishwanath ao The Economic Times. Ele continuou:

"Temos uma certa quantidade de reservas para avançar nos próximos meses e vamos esperar pelo veredicto da Suprema Corte."

No início de abril, a Coindelta, uma exchange cripto indiana, anunciou que estava suspendendo as operações de uma vez por todas, citando, também, as plataformas regulatórias extremamente exigentes que o país enfrenta atualmente.

Em todo o mundo, outras empresas de cripto sentiram o aperto por diferentes razões nos últimos meses, a queda do preço do Bitcoin (BTC) de US$ 6.500 para US$ 3.130 em novembro de 2018, provocando uma série de cortes de custos de empresas como a gigante da mineração Bitmain e a empresa de tecnologia blockchain ConsenSys.