Regulador do Reino Unido relata US$ 34 milhões perdidos em fraudes com criptomoedas e forex no ano passado

O principal regulador financeiro do Reino Unido, a Autoridade de Conduta Financeira (FCA), afirma que os investidores em criptos no país perderam mais de US$ 34 milhões com golpes de criptomoedas e forex entre 2018–2019, informou o Financial Times nesta última segunda-feira, 20 de maio.

De acordo com os dados, coletados pela FCA no centro nacional de denúncias de fraudes e cibercrimes do Reino Unido, o Action Fraud, as perdas individuais devido a fraudes diminuiram de US$ 76.000 para US$ 18.500, enquanto as perdas totais caíram US$ 14 milhões.

No entanto, o número de registros de golpes mais do que triplicou, atingindo 1.834, com 81% relacionados a esquemas criptos.

De acordo com o relatório, a FCA está considerando a proibição de “produtos derivativos de alto risco ligados às criptomoedas”. Por enquanto, o diretor executivo da FCA, Mark Steward, adverte:

"Os golpistas podem ser muito convincentes, então sempre faça sua própria pesquisa em qualquer empresa com a qual você esteja pensando em investir, para ter certeza de que eles são um negócio verdadeiro."

A FCA afirmou que os golpistas usam as redes sociais para encontrar potenciais investidores. O regulador também notou que os golpes costumam usar fotos de celebridades com falsos endossos ao lado de imagens de bens de luxo, como carros e relógios.

No ano passado, a empresa de consultoria de oferta inicial de moedas (ICOs), Statis Group, lançou um estudo revelando que mais de 80% das ICOs de 2017 eram fraudes. As perdas associadas nesse ano totalizaram US$ 1,34 bilhão.

Conforme informado recentemente pelo Cointelegraph, surgiram novas evidências sugerindo que a exchange de Bitcoin (BTC) Goxtrade é uma farsa. A Goxtrade  usou os nomes e imagens reais de pessoas não afiliadas, como a figura do blockchain Amber Baldet, para preencher a página de sua equipe no site. A exchange está também ausente no registro de empresas e negócios do Reino Unido.