Goxtrade mostra falsos funcionários e informações de contato enganosas

A exchange de Bitcoin (BTC) Goxtrade foi acusada de ser um golpe, informou a publicação de notícias sobre tecnologia TechCrunch nesta última sexta-feira, 17 de maio.

A principal revelação da reportagem é que a Goxtrade usa fotos de pessoas disponíveis em redes sociais e as compila para criar sua galeria de funcionários online. A Goxtrade ainda mantém alguns dos seus nomes reais.

Amber Baldet, cofundador da startup blockchain Clovyr, é uma das pessoas cujo nome e foto foram apresentados na lista de funcionários da Goxtrade. Ela respondeu à aparição no Twitter:

"Alerta de fraude: eu não sou desenvolvedora na Goxtrade e, provavelmente, todo o seu negócio é uma mentira."

Além das fotos fraudulentas, o TechCrunch informa que a empresa não está registrada no endereço anunciado e está ausente do registro de empresas e negócios do Reino Unido.

Além disso, algumas informações de contato da Goxtrade levam a entidades não relacionadas. O número de telefone anunciado da empresa, por exemplo, direciona para uma extinta empresa de roupas de Birmingham. O seu endereço de e-mail listado está associado com a empresa russa de internet Yandex.

Como informado pelo Cointelegraph, a página Hard Fork publicou um artigo ontem, 16 de maio, alegando que as startups de blockchain RepuX e JoyToken conduziram golpes com ofertas iniciais de moeda (ICO). As duas empresas teriam desaparecido com cerca de US$ 8 milhões em fundos de investimento depois de se recusarem a pagar os promotores que ajudaram a comercializar suas ICOs.