Uber e a brasileira Embraer lançam serviço de viagem em avião elétrico sem piloto pelo preço do Uber Black
Inscreva-se

A partir de 2020, clientes da Uber de Dallas e Los Angeles, nos EUA, assim como passageiros da empresa de Melbourne na Austrália, poderão usar seus Bitcoinscriptomoedas e, possivelmente a stablecoin Libra do Facebook e participar do que pode ser o início de uma revolução nos meios de transporte, segundo o anúncio feito esta semana, pela Uber, em parceria com a brasileira Embraer.

 A empresa anunciou que começará a testar nas cidades citadas um serviço de transporte aéreo, sem piloto e que funciona com energia elétrica.
 
O serviço, chamado de UberAIR, pretende, segundo a Uber, ser disponibilizado comercialmente em todo os EUA até 2028 antes dos jogos olímpicos. A brasileira Embraer é uma das cinco fabricantes das aeronaves que não terão piloto (o projeto também tem colaboração da NASA para definir os padrões de segurança e operação das aeronaves autônomas).

 “UberAIR será construído para diminuir o congestionamento, o tempo do passageiro no trânsito e, no longo prazo, contribuir para a redução na emissão de gases de efeito estufa”, informou a empresa em comunicado.

Segundo a Uber, o serviço deve sair pelo mesmo preço de um Uber Black, serviço de luxo da empresa, no entanto, uma viagem de horas deve ser concluída em minutos. Serão espalhados pontos de embarque e desembarque em edifícios nos grandes centros e cada viagem poderá acomodar até 4 passageiros.

“A equipe da Embraer se concentrou na experiência do cliente em seu mais recente conceito de veículo aéreo, utilizando redundâncias de sistemas para alcançar os mais altos níveis de segurança, ao mesmo tempo em que o sistema propulsor de oito rotores gera sustentação ao longo de toda sua extensão e emite baixo ruído”, disse Mark Moore, diretor de engenharia de aviação da Uber, em comunicado. 

A decolagem e aterrissagem do avião será feita na vertical, igual um helicóptero, porém, segundo a empresa, muito mais silenciosos. As aeronaves tem um novo conceito, segundo as empresas, chamado de eVTOL (electric Vertical Take-off and Landino) que tem dois propulsores horizontais na cauda e oito hélices menores no topo. O espaço interno será confortável, segundo a empresa e poderá transportar pessoas com necessidades especiais com cadeira de rodas.

Embora o serviço não esteja disponível inicialmente no Brasil, as estimativas da empresa são de que uma viagem da Avenida Paulista, em São Paulo, para Campinas, que sai por US$ 52 pelo UberBlack e demora 2h10min, considerando o congestionamento médio por terra, seria feita em 18 minutos pelo menos valor e, por US$ 24 após as operações terem se 'popularizado'. 

Como noticiou o Cointelegraph, embora diversas empresas tenham deixado o projeto Libra, do Facebook, o Uber, declarou que permanece entre os membros da Fundação Libra. A stablecoin do Facebook pode ser lançada no ano que vem apesar das diversas críticas e preocupações dos reguladores em todo o mundo.