Exchange de criptomoedas dos Emirados Árabes consegue primeiras licenças de autoridades regulatórias

A exchange de criptomoedas dos Emirados Árabes Unidos (EAU) Arabian Bourse (ABX) — uma joint venture do GMEX Group e do investidor Arshad Khan — conseguiu as primeiras aprovações regulatórias das autoridades de Abu Dhabi. A notícia foi divulgada inicialmente pelo site Markets Media no dia 6 de Junho.

O GMEX Group é um conglomerado que oferece investimento em ativos diversificados, infraestrutura pós-trade e soluções de negócios e tecnologia. O projeto da Arabian Bourse — desenvolvimento em parceria com o fundador de exchanges locais Arshad Khan — tem como objetivo servir como uma casa de câmbio e custódia de criptomoedas totalmente responsável e regulamentada e cujo objetivo é é atrair investidores institucionais internacionais.

Segundo o Markets Media, a ABX utiliza a tecnologia blockchain do GMEX Group, especificamente um "híbrido de blockchain centralizada com soluções de registro distribuído (DLC)”, nomeada GMEX Fusion.

O GMEX Group e Arshad Khan estão desenvolvendo a ABX como um “ecossistema integrado para listagem, negociação e custódia de criptoativos.” O futuro ecossistema terá como objetivo unir as atividades do investimento em criptoativos do Oriente Médio e Norte da África com outros centros internacionais.

ABX deverá ser sediada no prédio da Abu Dhabi Global Market Authorities (ADGM) — supostamente para se beneficiar da estrutura regulatória favorável às criptos da cidade, da alta concentração de instituições financeiras internacionais e do desenvolvimento acelerado da indústria de criptoativos na região.

Como o Cointelegraph mostrou anteriormente, outra exchange de criptomoedas baseada nos Emirados Árabes, a BitOasis também garantiu aprovações preliminares das autoridades locais, em meados de Maio de 2019.

Segundo dados divulgados pelo CoinSchedule em Abril, os Emirados Árabes têm sido um dos maiores contribuintes das vendas iniciais de tokens em 2019, angariando 25% dos fundos totais arrecadados, ou cerca de $210,5 milhões.

Em Setembro de 2018, Richard Teng — diretor da Autoridade Reguladora de Serviços Financeiros da ADGM, solicitou regulamentações internacionais mais robustas para as criptomoedas , afirmando que "toda vez que uma moeda é roubada ou perdida, isso afeta a confiança nesta classe de ativos.”