Dois russos acusados de minerar ilegalmente em hardware estatal

Dois cidadãos russos estão sendo processados por supostamente direcionar computadores de organizações estatais para minerar ilegalmente criptomoedas.

Os dois indivíduos supostamente infectaram o hardware com um programa que explora a criptomoeda por meio de um navegador da web, informou a agência Tass, em 16 de dezembro.

É relatado que um dos suspeitos, um morador da cidade de Kurgan, criou uma extensa rede de bots para infectar computadores em várias regiões do país. O segundo suspeito teria focado suas operações de mineração em hardware na concessionária estadual de água JSC Rostovvodokanal.

 

Mineração pode usar até 80% do poder de processamento dos alvos, alerta oficial

Conforme relatado, o uso ilícito do poder de processamento de um computador para minerar criptomoedas sem o consentimento ou conhecimento do proprietário é algumas vezes chamado de criptojacking.

Embora a agência não divulgue detalhes da criptomoeda extraída pelos dois suspeitos, o malware como um minerador de moedas - baseado no código Coinhive - é um exemplo de um programa predominante projetado para extrair ilegalmente Monero (XMR) por meio de um navegador.

Em comunicado divulgado em uma entrevista coletiva em 16 de dezembro, Nikolay Murashov - diretor adjunto do Centro Nacional de Coordenação da Rússia para Incidentes com Computadores - observou que “até 80% do poder de processamento do computador pode ser usado para gerar moedas virtuais, sendo que o usuário pode nem se dar conta."

Murashob destacou que o uso ilícito do poder de processamento pode afetar as operações comerciais e prejudicar o desempenho das empresas, alertando as organizações a implementar medidas adequadas de segurança cibernética.

 

Regulamentos mais apertados

Talvez o caso mais notório de mineração ilícita em uma organização estatal na Rússia tenha sido frustrado em fevereiro de 2018, quando agentes de segurança russos aplicaram um golpe contra um grupo de engenheiros em uma instalação secreta de ogivas nucleares, onde tentaram usar um dos supercomputadores mais poderosos do país para minerar Bitcoin (BTC).

Desenvolvimentos recentes na Rússia incluíram um plano para aprovar uma legislação que permitiria às autoridades confiscar criptomoedas como parte de um processo judicial.

O Cointelegraph também informou que o banco central, o regulador financeiro e o Ministério das Finanças da Rússia apoiam a proibição do uso de criptomoedas para pagar bens e serviços.