Polícia tailandesa prende 24 chineses por suposto golpe envolvendo Bitcoin

Autoridades da imigração tailandesas prenderam 24 cidadãos chineses que tocavam um suposto call center de criptomoeda no bairro Rama III, em Bangcoc.

De acordo com um anúncio oficial de 2 de dezembro, o Departamento de Imigração da Polícia Real da Tailândia prendeu 24 indivíduos, apreendeu 61 laptops, 424 telefones celulares e diversos roteadores.

O Departamento de Imigração afirma ainda que o chefe da operação contratava funcionários com contratos de três meses, em que todas as suas despesas eram pagas, incluindo um salário mensal de 5.000 yuanes (US$ 710).

Após a chegada ao país, os contratados entregavam seus passaportes ao chefe da operação. Os funcionários trabalhavam em turnos das 9:00 às 22:00.

Os supostos golpistas atrairiam investidores chineses para comprar Bitcoin (BTC), fraudando ostensivamente as taxas para obter lucro.

Polícia tailandesa de olho em golpes por telefone

O jornal local Chiang Rai Times afirma que o Departamento de Imigração deteve vários golpes de call center operados por chineses.

Nesta sexta-feira, a polícia de imigração deu uma batida em local que operava um esquema de especulação de ações administrado por adolescentes chineses. 54 menores foram supostamente detidos em um hotel tailandês por enganar investidores chineses a investir em ações falsas.

Os golpistas teriam como objetivo de levantar 5 milhões de baht tailandeses (US$ 165.000) de investidores que eles conheciam em salas de bate-papo na Internet. A polícia ainda está em busca do organizador da operação que, como o chefe do suposto golpe do Bitcoin, está em posse dos passaportes dos funcionários.

Negociação de cripto possui certas restrições na Tailândia

Embora o comércio de criptomoedas na Tailândia seja legal, o país possui uma estrutura regulatória e padrões de conformidade para o setor.

Tanto a emissão de tokens quanto a negociação de criptomoedas em um mercado secundário são reguladas por lei sob uma série de decretos.

Nas exchanges de criptomoedas, os pares de negociação aceitáveis ​​para criptomoedas são a moeda fiduciária do país (baht) ou criptomoedas que foram aprovadas pela Comissão de Valores Mobiliários da Tailândia.

Além disso, as empresas relacionadas à criptomoedas devem ser consideradas instituições financeiras que operem sob as regulações de combate à lavagem de dinheiro do país, combate ao financiamento do terrorismo e regulamentos de Conheça seu Cliente.

Como o Cointelegraph relatou recentemente, os legisladores da Tailândia planejam reformar as leis de criptomoedas em meio a preocupações de que tais regulamentações tornem o país pouco competitivo.