Autoridades tailandesas investigam esquema de pirâmide de criptomoeda

Um advogado de direitos humanos que representa vítimas de um suposto esquema de pirâmide de criptomoedas na Tailândia está levando o caso ao Departamento de Investigação Especial (DSI) do país.

O Bangkok Post informou em 16 de janeiro que cerca de 20 vítimas, cujas perdas supostamente totalizam 75 milhões de baht (~ US$ 2,5 milhões), estão tentando ir além das investigações da polícia local na província de Krabi, na Tailândia, dada a gravidade do caso. 

O DSI, um departamento do Ministério da Justiça da Tailândia, trabalha independentemente da força da Polícia Real da Tailândia e tem a tarefa de investigar "casos especiais", como aqueles que envolvem redes criminosas organizadas ou casos relacionados a ameaças à segurança nacional.

Retorno semanal de oito por cento

Segundo o relatório, o suposto esquema de pirâmide, apelidado de "Comércio de Criptomoedas Khung Nong", operava na província de Krabi em 2018 oferecendo retornos promissores de até 8% por semana e, segundo relatos, moradores de regiões como Krabi, Trang, Yala, Pattani e Narathiwat teriam vendido diversos ativos, incluindo terrenos particulares, carros e motocicletas para arrecadar dinheiro para investir no golpe.

Entre outubro de 2018 e fevereiro de 2018, o esquema atraiu mais vítimas, até que sua operadora parou abruptamente de pagar dividendos.

No outono de 2019, a Cointelegraph informou que a polícia de Bangcoc prendeu um homem de 48 anos que se autodenominou o "mago da criptomoeda" por seu suposto papel em uma fraude  que teria arrecadado cerca de 500 milhões de baht (US $ 16,3 milhões). 

No ano anterior, outra figura local ilustre - a estrela da novela tailandesa Jiratpisit Jaravijit - foi presa por seu suposto papel em assalto a investimentos em 797 milhões de baht (US $ 24,6 milhões) em Bitcoin ( BTC ).