Tabelião de Notas de São Paulo usa Ethereum e registra sua primeira Ata Notarial usando blockchain

O 2º Tabelião de Notas de São Paulo, registrou a primeira ata notarial em blockchain usando recursos da blockchain do Ethereum, segundo publicação oficial do Tabelião que destacou que o recurso foi usado para garantir a autenticidade de uma informação requerida por um cliente que procurou o Tabelião.

No caso, o professor e especialista em blockchain da PUC -SP, Jeff Prestes procurou o Tabelião com a finalidade de registrar que uma assinatura de sua propriedade é realmente sua.

"Acredito que a ata notarial dá a garantia de que aquela assinatura digital da minha conta na rede Blockchain do Ethereum é realmente minha, podendo demonstrar em caso de questionamentos judiciais que fui eu mesmo que fiz determinada operação (...) Uma lacuna que existe em blockchain é que em algumas operações é preciso ter a segurança que foi realmente determinada pessoa que fez tal operação. Preciso confiar, saber que a pessoa A é realmente a pessoa A e acredito que o tabelião é o melhor profissional que já faz esta identificação e que pode fazer também este serviço na blockchain”, pontuou.

De acordo com Teixeira Nogueira, a ata notarial tem a capacidade de gerar prova pré-constituída e é da própria natureza do tabelião de notas promover a identificação de pessoas.

“Neste caso específico, conseguimos por meio da ata notarial, identificar o usuário, fazer a vinculação de uma conta, por meio de seu código hash, a essa pessoa que a está utilizando, e assim entregamos uma prova pré-constituída para que ele possa comprovar que quem está realizando operações registradas na blockchain é ele mesmo”, destaca Nogueira.

Para o tabelião, a identificação de quem está por trás de uma conta em Blockchain trará mais segurança ao sistema. “Isso é um benefício muito grande, porque assim ele [Jeff Prestes] pode, com segurança, contratar outras pessoas e até se apresentar ao Poder Público sem qualquer dúvida de que seja ele mesmo e, claro, assumir responsabilidade sobre os seus atos”, finalizou.

Como noticiou o Cointelegraph, em entrevista a John Jun, na Samsung Developer Conference, o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, falou sobre os desafios do projeto e afirmou que não está otimista com as blockchains desenvolvidas em consórcios de grandes empresas.

No começo da entrevista, Vitalik falou sobre o início do projeto e contou que os maiores desafios na criação do Ethereum não foram os desafios técnicos, mas sociais.

Confira mais notícias