Universidade Suíça combate diplomas falsos com tecnologia Blockchain

A Universidade de St. Gallen, na Suíça, está de olho na tecnologia blockchain para combater diplomas falsos, um tipo de fraude que vem aumentando globalmente nos últimos anos.

Certificação de grau

De acordo com uma entrevista da CNN Money Suiça de 19 de setembro, a Universidade de St. Gallen anunciou que está introduzindo um projeto piloto baseado em blockchain para verificar a autenticidade de seus graus em questão de segundos, em vez de vários dias. O CIO da universidade, Harald Rotter, disse:

“Vi que isso poderia ser necessário e poderia ser um caso de uso válido para transferir ou facilitar a validação de nossos diplomas com base em um processo digital em blockchain.”

A Universidade de St. Gallen optou por fazer parceria com a startup suíça de blockchain BlockFactory e usará sua solução de certificação para criar diplomas imutáveis ​​registrados na blockchain Ethereum.

Malásia e Canadá também lutam contra diplomas falsos

O Cointelegraph informou anteriormente que o Ministério da Educação da Malásia também está tentando combater os casos crescentes de falsos graus de escolaridade em seu país. A Malásia introduziu o E-Skrol, um aplicativo construído no blockchain NEM para lidar com a questão da fraude de certificado através do uso da tecnologia blockchain.

Em junho, a Cointelegraph informou que um instituto de tecnologia canadense também planeja emitir diplomas baseados em blockchain para sua próxima turma de formandos. Mais de 4.800 estudantes de graduação do Southern Alberta Institute of Technology receberão seus primeiros diplomas baseados em blockchain, juntamente com seus documentos tradicionais em 2019.

Da mesma forma, a Universidade do Bahrain anunciou que estava em parceria com a startup Learning Machine para fornecer seus diplomas de blockchain no início de 2019.