Banco Bitcoin suíço diz que interesse de UBS e Credit Suisse foram 'claramente despertos'

Peter Wuffli - ex-CEO do grande banco multinacional suíço de investimento UBS - diz que o advento de novos atores regulamentados em cripto está chamando a atenção dos grandes bancos.

Wuffli fez suas declarações durante uma entrevista à Finews, publicada em 23 de setembro. Em 2008, ele deixou seu cargo de CEO do UBS, à medida que as perdas da crise financeira do banco cresciam, renunciando a seu pagamento de mais de US$ 10 milhões um mês após a instituição ser socorrida pelo governo suíço.

Mais de uma década depois, o ex-banqueiro e recém-nomeado membro do conselho do banco suíço de criptomoedas Sygnum observou sobre o setor de cripto:

"Não vejo uma bolha no momento. Vejo soluções e planejamento de negócios mais sérios, atendendo às necessidades dos clientes, tendo aprendido com a última oferta inicial de moedas e a bolha do Bitcoin.”

Bancos legados observam e avaliam o novo setor de cripto

Conforme relatado, o Sygnum recebeu recentemente uma licença condicional de bancos e negociantes de valores mobiliários da Suíça e agora pretende se tornar um banco totalmente regulamentado, a fim de fornecer um conjunto completo de serviços financeiros, incluindo custódia de cripto e conversões fiduciário-cripto.

Durante a entrevista, Muffli afirmou que a empresa era o único banco licenciado especializado em ativos digitais em todo o mundo que cumpria as condições exigidas para uma licença bancária "em apenas cinco dias". O ponto crítico, observou ele, foram as medidas de combate à lavagem de dinheiro e Conheça seu Cliente.

Quando se trata da resposta do setor financeiro tradicional ao espaço emergente de criptoativos e aos desdobramentos do setor, ele falou sobre grandes bancos como UBS e Credit Suisse:

“Pelo que ouvimos, o interesse claramente aumentou desde que as licenças foram concedidas. Os executivos dos bancos estão pedindo à gerência intermediária que descubra se isso é apenas mais uma moda passageira que vem e vai, ou se é realmente transformadora.”

Ele acrescentou: "Eles estão se perguntando estrategicamente se precisam se comprometer com isso e o que isso significaria em termos de mudanças nos sistemas, mas também na mentalidade".

Desdobramentos recentes na Suíça

Conforme relatado, a licença concedida ao Syngum também foi concedida em paralelo ao Seba Crypto AG, que planeja criar uma plataforma de ativos digitais para traders profissionais e clientes institucionais, além de oferecer serviços de custódia e gerenciamento de ativos.

Na semana passada, o Arab Bank da Suíça fez uma parceria com a empresa de tecnologia blockchain Taurus para oferecer serviços de custódia e corretagem de Bitcoin (BTC) e Ether (ETH) a seus clientes.

Em agosto, a Autoridade Supervisora ​​do Mercado Financeiro da Suíça divulgou novas orientações sobre requisitos regulatórios para pagamentos baseados em blockchain, direcionados a exchanges de criptomoedas, provedores de carteiras e plataformas de negociação.

Nesse mesmo mês, o banco privado suíço Maerki Baumann revelou que havia passado por um "ataque" de 400 novos clientes que queriam aproveitar suas futuras ofertas de blockchain desde que revelaram seu interesse no setor.