Estudo: 14% das principais exchanges de criptomoedas globais são licenciadas por reguladores

Apenas 14% das 216 exchanges de criptomoedas globais são licenciadas por órgãos reguladores segundo relatório de riscos da Coinfirm, empresa de tecnologia regulatória (regtech). O relatório foi divulgado nesta última quinta-feira, 27 de março.

A Coinfirm, uma empresa de tecnologia regulatória para moedas digitais e blockchain com sede em Londres, estudou 216 exchanges de criptomoedas globais para descrever os principais riscos associados a cada plataforma, bem como para auxiliar os monitores no desenvolvimento das estruturas regulatórias necessárias. As exchanges analisadas representam mais de 90% da atividade global do mercado de criptomoedas.

No estudo, a Coinfirm avaliou as exchanges em sete categorias de risco, incluindo licença e autorização, Customer Due Diligence (CDD), compliance com o Know Your Customer (KYC), cumprimento da Lei Anti Lavagem de Dinheiro (AML), sanções, figuras públicas seniors, jurisdição e mídia negativa ou adversa.

O estudo constatou que 69% das exchanges não têm procedimentos de CDD e KYC “completos e transparentes”, enquanto apenas 26% introduziram procedimentos AML, como monitoramento de transações ou recrutamento de um profissional para questões relacionadas à lavagem de dinheiro.

A Coinfirm também descobriu que 40% das exchanges analisadas não suportam moedas fiat e realizam trocas apenas entre criptomoedas. Dos 60% restantes que fornecem trocas com moedas fiat, apenas 23% tinham processos KYC completos que suportavam tanto depósitos, quanto saques em transações com criptos e moedas fiat, observa o relatório.

No relatório, o Coinfirm forneceu o desempenho uma média do risco composto das exchanges em jurisdições específicas, classificando como de baixo risco países como Austrália, Noruega, Suécia, Finlândia, Alemanha, Suíça e outros. Entre os países de alto risco, a Coinfirm listou a Rússia, a Bielorrússia, a Ucrânia, o Irã, alguns países africanos e outros.

Os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Brasil, China, Índia e Arábia Saudita foram avaliados como de médio risco.

Average composite risk performance of crypto exchanges by country. Source: Coinfirm

Performance média do risco composto das exchanges de criptomoedas por país. Fonte: Coinfirm

A exchange Binance, maior plataforma de negociação de criptomoedas por volume diário de transações, foi avaliada como uma exchange de alto risco devido a um longo período de exposição a criptos anônimas, como o Monero (XMR) e o ZCash (ZEC), diz o relatório. A Coinfirm acrescentou que a exchange está regularmente mudando jurisdições, o que infere uma possível arbitragem regulatória.

Recentemente, a Binance firmou uma parceria com a empresa de gerenciamento de riscos e compliance IdentityMind para tratar de segurança de dados e medidas de compliance em suas operações globais, ativando as ferramentas de compliance KYC e AML da IdentityMind.

Hoje mais cedo, o CEO da Binance, Changpeng Zhao, disse que relatórios recentes sobre volumes de negociação falsos no CoinMarketCap são úteis para a indústria de criptomoedas.