Importante investidora cripto Andreessen Horowitz levanta US$ 2,75 bilhões em dois novos fundos

Empresa de capital de risco baseada em Silicon Valley e grande investidora cripto Andreessen Horowitz levantou US$ 2,75 bilhões para dois novos fundos, de acordo com anúncio da empresa de 1 de maio.

Maior parte do novo capital será destinado a um fundo de investimento especializado de US$ 2 bilhões (LSV Fund I), liderado pelo sócio-geral da Andreessen Horowitz, David George.

Já os US$ 750 milhões foram arrecadados em um sexto fundo geral — focado no estágio inicial da empresa, consumidores e ofertas fintech — que se reunirão com a criptomoeda especializada e os fundos biológicos existentes da empresa.

Como o parceiro de gestão Scott Kupor ressalta no anúncio e ontem, as criptomoedas ainda estavam muito no início quando a empresa de capital de risco foi lançada em 2013. A criação de seu fundo cripto dedicado de US$ 350 milhões, o16z —  que abrange uma série de projetos de investimento blockchain para ofertas de moeda inicial (ICOs) — levou a empresa a contratar seu primeiro sócio-investidor em 2018, como o Cointelegraph informou na época.

Desde então, o fundo da Andreessen’s Horowitz, a16z, investiu na startup blockchain MakerDAO (MKR) — que suporta a stablecoin baseada em Ether Dai (DAI) — o projeto de stablecoin Basis e a custódia cripto institucional Anchorage, assim como as startups de cloud computing blockchain DFINITY e Oasis Labs.

Em fevereiro, o fundo da Universidade de Michigan de US$ 12 bilhões revelou planos para reforçar seu investimento no "fundo de tecnologia cryptonetwork" da Andreessen Horowitz (CNK Fund I). 

O site da Andreessen Horowitz também lista o Bitcoin (BTC), o Ether(ETH), a startup de DNS descentralizado Handshake, a exchange dYdX e a o operador da stablecoin TrueUSD Trusttoken, entre seus investimentos cripto.

No mês passado, a Andreessen Horowitz anunciou que estava de reestruturando, registrando todos os seus funcionários como consultores financeiros qualificados e renunciando ao seu antigo status de empresa de capital de risco. A reestruturação permitirá, ostensivamente, que a empresa faça apostas mais arriscadas em certas áreas de negócios, incluindo criptomoedas.