Firma de auditoria de contratos inteligentes Hosho reduz pessoal devido ao aumento de ferramentas automáticas e desaceleração da ICO

A firma de auditoria de contratos inteligentes Hosho demitiu um número significativo de funcionários, citando uma quantidade maior de ferramentas automatizadas, disse o cofundador e presidente da empresa, Hartej Sawhney, à Cointelegraph em 1º de fevereiro.

Embora afirmando que a empresa demitiu uma parte suficiente da equipe - a quantidade exata não foi especificada - Sawhney ainda observou que a Hosho continua a ser uma das empresas líderes no setor de auditoria e segurança de contratos inteligentes, especificamente em testes de penetração.

O presidente da Hosho explicou que a redução de pessoal foi causada por uma conjunção complexa de circunstâncias, incluindo a queda no valor das ofertas iniciais de moeda (ICO), que é em parte devido à grande baixa de mercado de cripto de 2018.

Falando à Cointelegraph, Sawhney enfatizou o fato de que a Hosho vem ativamente aumentando as escalas de implementação de ferramentas automatizadas, enquanto, ao mesmo tempo, observa um número muito menor de auditorias de contratos inteligentes. Neste contexto, um grande número de engenheiros para o trabalho de auditoria se tornou desnecessário, disse Sawhney, enfatizando que o principal objetivo agora é manter a empresa funcionando.

Sawhney observou que a Hosho pretende descobrir o número perfeito de funcionários que devem ser mantidos na empresa, ao mesmo tempo em que mantém e desenvolve o ritmo do trabalho, bem como sua marca e nível de relatórios de auditoria.

Com isso, Sawhney revelou que a Hosho está planejando expandir sua presença dos mercados já explorados da América do Norte e Europa para o mercado do Sudeste Asiático, procurando empregar novos representantes.

O mercado de urso nas criptos de 2018 causou uma onda de demissões no setor de cripto e blockchain. No final de 2018, a Cointelegraph informou sobre supostas demissões na importante empresa de software blockchain ConsenSys, com fontes familiarizadas com o assunto, alegando que a quantidade de funcionários que deve ser demitida está entre 50 e 60 por cento de toda a equipe de 1.200 pessoas. No entanto, a empresa acabou afirmando que as demissões recentes não excederam 13% do pessoal.

Ontem, 31 de janeiro, a importante exchange cripto canadense Coinsquare teria demitido quase 30% de seus funcionários, incluindo seu diretor financeiro (CFO) e diretor de operações (COO).

No começo de janeiro, a exchange cripto suíça ShapeShift dispensou um terço de sua equipe, conforme revelado pelo presidente da exchange, Erik Voorhees.