Demissões na ConsenSys não excederam 13%

Aviso: Este artigo informava anteriormente que as demissões na ConsenSys afetaram principalmente a equipe de suporte. Mais tarde, a empresa informou a Cointelegraph que a equipe técnica também estava sendo afetada.

As demissões recentes na empresa de tecnologia de software blockchain ConsenSys não excederam 13% do pessoal. A diretora executiva e de Impacto Social da empresa, Vanessa Grellet, conversou com a Cointelegraph sobre os recentes desenvolvimentos na Crypto Finance Conference na Suíça em 18 de janeiro.

Grellet disse que os cortes de pessoal foram um "movimento natural" e afetaram principalmente o pessoal da equipe de suporte. Um porta-voz da empresa disse mais tarde à Cointelegraph que todas as equipes foram reavaliadas, incluindo pessoal técnico e não técnico. Grellet acrescentou:

“Estou na empresa há dois anos e meio. Quando entrei, éramos 60 e crescemos para uma empresa com 1.200 funcionários em todo o mundo. A forma como contratamos as pessoas estava relacionada as oportunidades , projetos etc., e crescemos um pouco mais rápido ”.

Grellet também disse que as demissões podem ser tratadas como parte da “evolução natural” do ConsenSys, já que o espaço cripto amadurece e “não está relacionado a qualquer mudança de preço”. Ela comparou as demissões recentes a processos semelhantes em grandes empresas financeiras para as quais trabalhava. que eles se reestruturaram a cada dois anos à medida que as empresas cresciam.

Discutindo sua experiência anterior de trabalho na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), Grellet disse que os mercados tradicionais e a indústria cripto estão cada um em um "nível muito diferente de maturidade".

Quando perguntada sobre sinais de crise na indústria de blockchain e críticas à ConsenSys por não cumprir suas promessas, Grellet disse que ela ainda vê grande interesse na tecnologia blockchain. Grellet acrescentou que o ConsenSys realizou vários projetos que avançaram a adoção das criptomoedas.

Em dezembro, fontes anônimas afirmaram que a ConsenSys poderia demitir até 60% de seus funcionários, já que o espaço de blockchain se tornou mais competitivo e "lotado".

O fundador da ConsenSys, Joseph Lubin, afirmou mais tarde que o ConsenSys “continua saudável” e está reequilibrando suas prioridades. Ele também reclamou dos vazamentos, dizendo que jornalistas e blogueiros não têm dados reais e criam muito pânico ao relatar demissões.