Sistema da Prefeitura de Barrinha é invadida por hacker que exigem pagamento em Bitcoin

Hackers invadiram os sistemas da prefeitura de Barrinha, no interior de São Paulo, e criptografaram os dados e deixaram uma mensagem de resgate que pede pagamentos em Bitcoin para liberar os arquivos.

Os criminosos criptografaram todo o sistema administrativo, contábil e financeiro da administração municipal, que decretou estado de emergência. Um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia da Polícia Civil da cidade e o caso será analisado pelo delegado Rodrigo Pimentel Bortoleto, como extorsão.

"Foram capturados dados e exigida vantagem financeira, em que pese ser por moeda virtual, bitcoin, tem valor econômico, então foi registrado o boletim de ocorrência como extorsão e vamos tentar trilhar o caminho contrário feito pelos criminosos. Tivemos notícias de que há outros casos em outras cidades, então vamos entrar em contato com a Polícia Civil atuante nesses municípios para saber se já estão mais avançados na investigação, assim como a Delegacia de Crimes Eletrônicos, do Deic em São Paulo, pra ver aí sim quais serão os próximos passos que vamos tomar", disse.

No entanto, segundo as informações registradas no Boletim de Ocorrência tudo leva a crer que não houve uma 'invasão deliberada' ou seja, hackers não buscaram acessar especificamente o sistema da prefeitura, mas, a administração pública teria sido vítima de um malware que pode ter atingido o sistema por conta de um ataque de phishing. Desta forma, provavelmente, a investigação não deve encontrar os culpados.

A prefeita de Barrinha Maria Emilia Marcari (PTB), determinou que os computadores fossem enviados para a cidade de São Paulo, para uma empresa especializada, que deve analisar as máquinas e tentar recuperar os arquivos. O valor do resgate não foi pago. Os serviços públicos afetados já estão normalizados.

"Daqui pra frente a gente já vai tomar todas as providências e uma segurança para a prefeitura e para o município, porque a gente não consegue, não entra e não sai nada, está tudo bloqueado, a gente não consegue trabalhar", disse.

Como noticiou o Cointelegraph, hackers, por meio de malwares, também tiveram acesso ao sistema da Doca do Porto de Fortaleza e pediram resgate em Bitcoin para poder devolver o acesso ao sistema.

Confira mais notícias